Mercado fechará em 4 h 27 min

Taxa de desemprego cai para 12,3% na primeira semana de julho, aponta IBGE

Gabriel Vasconcelos e Alessandra Saraiva

O número de desempregados caiu de 12,4 milhões para 11,5 milhões O número de desempregados caiu de 12,4 milhões de pessoas para 11,5 milhões na primeira semana de julho, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dessa forma, a taxa de desemprego também recuou de 13,1%, na semana anterior, para 12,3% no período encerrado em 4 de julho. Apesar dessa queda na chamada margem, houve alta na comparação com a primeira semana de maio.

EBC

A informação é da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Covid-19 semanal, divulgada nesta sexta-feira. O levantamento foi criado para acompanhar os efeitos da pandemia a cada sete dias.

O IBGE informou, ainda, que 10,1% da população ocupada, ou 8,3 milhões, estava afastada do trabalho na primeira semana de julho por causa da pandemia e que 8,9 milhões de pessoas trabalhavam remotamente, número que se manteve estável em relação à última semana de junho.

Além disso, cerca de 19,4 milhões das pessoas que não buscaram por emprego na primeira semana de julho disseram não tê-lo feito devido à pandemia ou por falta de trabalhado onde moravam, detalhou o IBGE. Esse contingente, que tende a pressionar o mercado de trabalho com o fim gradual do isolamento, aumentou 8,9% em relação ao número registrado na semana imediatamente anterior (17,8 milhões).

Em termos relativos, na semana pesquisada, esse grupo que não buscou emprego em função do isolamento era 67,4% das pessoas fora da força de trabalho que diziam querer trabalhar (28,7 milhões) e 25% do total de excluídos da força (76,8 milhões ). Pelas regras da Organização Internacional do Trabalho (OIT), seguidas pelo IBGE, essas pessoas não são consideradas desempregadas.

Entre os contingentes que definem o desemprego, a população ocupada e não afastada do trabalho foi estimada em 71,0 milhões de pessoas na primeira semana de julho, ante 69,2 milhões na última semana de junho, informou o IBGE.

Além disso, o IBGE mostrou que o índice aproximado da taxa de informalidade nos primeiros dias de julho foi de 34,2%. O dado ficou estatisticamente estável em relação à semana anterior (34,5%), mas recuou na comparação com a semana entre 3 a 9 de maio (35,7%).