Mercado abrirá em 1 h 53 min
  • BOVESPA

    110.334,83
    +299,66 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.784,58
    +191,67 (+0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,60
    -0,04 (-0,07%)
     
  • OURO

    1.726,00
    +3,00 (+0,17%)
     
  • BTC-USD

    48.718,21
    +1.442,97 (+3,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    979,46
    -7,19 (-0,73%)
     
  • S&P500

    3.901,82
    +90,67 (+2,38%)
     
  • DOW JONES

    31.535,51
    +603,14 (+1,95%)
     
  • FTSE

    6.627,94
    +39,41 (+0,60%)
     
  • HANG SENG

    29.095,86
    -356,71 (-1,21%)
     
  • NIKKEI

    29.408,17
    -255,33 (-0,86%)
     
  • NASDAQ

    13.229,25
    -50,50 (-0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7834
    -0,0122 (-0,18%)
     

Tatuzões começam a ser montados na retomada das obras da linha 6-laranja do metrô em SP

ALFREDO HENRIQUE
·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os dois equipamentos que irão retomar os trabalhos de escavação da linha 6-laranja do metrô começaram a ser montados, na zona norte de São Paulo, pela empresa espanhola que assumiu a concessão do governo estadual para finalizar as obras. As enormes peças das tuneladoras, também chamadas de tatuzões, podem ser vistas em um canteiro de obras perto da marginal Tietê, na região da Freguesia do Ó. Segundo a empresa Acciona, responsável pela obra, a montagem dos equipamentos, projetados na Europa, deve ser concluída no primeiro trimestre do ano que vem. Os dois equipamentos foram adquiridos pelo consórcio Move São Paulo, que estava tocando a obra anteriormente. As obras da linha 6-laranja, inicialmente prometida para 2013, começaram em 2015, com previsão de entrega em 2020. Porém, a construção foi parada em 2016. A atual previsão de conclusão de abertura dos túneis da linha é para o primeiro trimestre de 2024, segundo a construtora. A linha contará com 15,3 quilômetros de extensão, ligando a Brasilândia (zona norte) à estação São Joaquim (centro) e fazendo ligação com outras duas linhas do metrô e também duas da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). Cada um dos tatuzões irá trabalhar com tipos diferentes de solo, que irão influenciar na média diária de escavações feitas pelos equipamentos. A tuneladora que abrirá túneis em direção à zona norte da cidade, com solo rochoso, fará entre 8 e 9 metros de escavações diárias, segundo a empresa espanhola. Já o equipamento que perfurará no sentido oposto, com terreno mais maleável, fará entre 13 e 14 metros por dia. Neste ritmo, acrescentou a Acciona, a previsão é a de que os trabalhos de perfuração sejam concluídos no primeiro trimestre de 2024. O uso do tatuzão acelera a abertura de túneis subterrâneos pois, ao final de cada escavação diária, é feito o revestimento com aros de concreto. A Secretaria de Transportes Metropolitanos, da gestão João Doria (PSDB), afirmou não se manifestar sobre as obras da linha 6-laranja que, acrescentou, são de responsabilidade da construtora espanhola. Segundo disse o governo do estado, em outubro do ano passado, quando a obra foi retomada, a previsão é que a linha seja totalmente concluída em 5 anos. A concessão inclui ainda a aquisição de toda a frota, que deverá ter 22 trens, e prevê 19 anos para manutenção e operação. Com investimento total de R$ 15 bilhões, a linha 6-laranja vai atender diariamente a mais de 630 mil passageiros, que terão mais agilidade e conforto no deslocamento entre a zona norte e o centro da capital. O que é Tuneladora é uma enorme máquina que escava túneis circulares A escavação é efetuada pela rotação da sua cabeça, que é dotada de ferramentas de corte e aberturas No fim de cada ciclo de escavação, é montado um revestimento com aduelas pré-fabricadas Linha 6-laranja do metrô Previsão de entrega em 2025 Estações Brasilândia Vila Cardoso Itaberaba João Paulo 1º Freguesia do Ó Santa Marina Água Branca Pompeia Perdizes Cardoso de Almeida Angélica-Pacaembu Higienópolis-Mackenzie 14 Bis Bela Vista São Joaquim Interligação Linha 1-azul Linha 4-amarela Linhas 7-rubi e 8-diamante da CPTM Atraso Obras tiveram início em 2015 Previsão de entrega era para 2020 Construção da linha está paralisada desde 2016 Investimento e dimensão da obra R$ 15 bilhões 15 estações 15,3 km de extensão Expectativa de atender mais de 630 mil passageiros diariamente Trecho será percorrido em 23 minutos