Mercado fechará em 2 h 57 min
  • BOVESPA

    125.648,88
    +1.036,85 (+0,83%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.177,82
    +267,29 (+0,53%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,21
    +0,56 (+0,78%)
     
  • OURO

    1.800,50
    +0,70 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    40.094,18
    +2.366,61 (+6,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    940,24
    +10,31 (+1,11%)
     
  • S&P500

    4.397,53
    -3,93 (-0,09%)
     
  • DOW JONES

    34.933,36
    -125,16 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.016,63
    +20,55 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    14.994,00
    +46,25 (+0,31%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1072
    -0,0012 (-0,02%)
     

Tanzânia avalia retomar projeto de porto de US$10 bilhões com China

·1 minuto de leitura

DAR ES SALAAM (Reuters) - A presidente da Tanzânia, Samia Suluhu Hassan, afirmou neste sábado que o país vai avaliar a retomada de um projeto de construção de um porto orçado em 10 bilhões de dólares.

O país assinou um acordo inicial em 2013 com a China Merchants Holdings International para a construção do porto e de uma zona econômica especial que têm como objetivo transformar a Tanzânia em um centro de comércio e transporte capaz de rivalizar com vizinhos.

A China Merchants, maior operadora portuária da China, afirmou em 2019 que anos de negociações com o governo da Tanzânia não conseguiram produzir avanço no projeto.

O projeto prevê que o porto será construído em Bagamoyo, a cerca de 75 quilômetros ao norte de Dar es Salaam.

"Começamos as negociações para retomada de todo o projeto do porto de Bagamoyo", disse Hassan durante reunião com representantes do setor privado em Dar es Salaam.

(Por Nuzulack Dausen)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos