Mercado abrirá em 4 h 31 min
  • BOVESPA

    122.515,74
    +714,95 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.869,48
    +1,16 (+0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,57
    +0,31 (+0,44%)
     
  • OURO

    1.811,90
    -10,30 (-0,57%)
     
  • BTC-USD

    38.668,11
    -1.042,20 (-2,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    938,01
    -22,89 (-2,38%)
     
  • S&P500

    4.387,16
    -8,10 (-0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.838,16
    -97,31 (-0,28%)
     
  • FTSE

    7.097,30
    +15,58 (+0,22%)
     
  • HANG SENG

    26.194,82
    -40,98 (-0,16%)
     
  • NIKKEI

    27.641,83
    -139,19 (-0,50%)
     
  • NASDAQ

    14.982,50
    +29,75 (+0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1192
    -0,0249 (-0,41%)
     

Tailândia aplicará AstraZeneca em pessoas vacinadas com Sinovac

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A Tailândia será o primeiro país do mundo a combinar vacinas da Sinovac Biotech e da AstraZeneca, na tentativa de aumentar a proteção contra a variante delta do coronavírus, que é mais contagiosa.

A nação do Sudeste Asiático começará a aplicar a primeira dose com a chinesa Sinovac e a segunda com AstraZeneca três ou quatro semanas depois, informaram funcionários do Ministério da Saúde durante uma entrevista coletiva perto de Bangkok na segunda-feira.

A decisão é fundamentada por três estudos locais, que mostraram que aplicar o imunizante da Astra após a Sinovac provoca uma resposta imunológica tão alta quanto o uso de duas doses de AstraZeneca com 12 semanas de intervalo, explicou Opas Karnkawinpong, diretor-geral do Departamento de Controle de Doenças da Tailândia. Segundo ele, o novo regime permitirá que o país aumente rapidamente a imunidade contra a variante delta.

Reino Unido, EUA e outros países estudam a alternância de vacinas para enfrentar a escassez do produto e melhor combater as novas mutações do vírus. Já na Tailândia, a adoção desse regime como política governamental vem após relatos de que centenas de profissionais de saúde foram infectados mesmo depois de inoculados com Sinovac. O país enfrenta um agravamento do surto que já forçou medidas de lockdown na região metropolitana de Bangkok e outros pontos críticos onde o coronavírus se dissemina. O país também sofre com falta de suprimentos, particularmente da vacina da AstraZeneca.

Em um dos estudos, resultados preliminares mostraram que uma primeira dose de Sinovac seguida por uma dose de AstraZeneca três a quatro semanas depois pode desencadear uma resposta imunológica que é oito vezes mais forte do que duas doses de Sinovac, explicou Yong Poovorawan, chefe do Centro de Excelência em Virologia Clínica da Universidade Chulalongkorn.

Até o momento, a Tailândia distribuiu 12,6 milhões de doses de vacina — sendo 56% Sinovac, 43% Astra e 1% Sinopharm.

Autoridades de saúde defendem um plano para distribuir doses de reforço da Pfizer e Astra para profissionais de saúde, que já estão totalmente inoculados com vacinas da Sinovac.

O país encomendou 20 milhões de doses da Pfizer e deve receber 1,5 milhão de doses doadas pelos EUA.

A Sinovac tem sido criticada pela variação das taxas de eficácia observadas em estudos clínicos com seus imunizantes. A companhia deu poucas informações a respeito do desempenho contra a variante delta. De acordo com um estudo, a Astra, que é uma vacina de vetor viral, é 60% eficaz na prevenção de infecções sintomáticas e capaz de prevenir mais de 90% das internações em pacientes acometidos pela variante que surgiu na Índia.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos