Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    60.358,56
    +1.795,62 (+3,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Taesa vê alavancagem adequada e quer seguir pagando muitos dividendos, diz CFO

·1 minuto de leitura
Torres de transmissão de energia

SÃO PAULO (Reuters) - A transmissora de energia elétrica Taesa está com nível de endividamento adequado e pretende seguir perseguindo novos investimentos enquanto distribui dividendos significativos para os acionistas, disseram executivos da companhia nesta quinta-feira, durante teleconferência com investidores.

A empresa, controlada pela estatal mineira Cemig e o grupo colombiano Isa, encerrou 2020 com alavancagem financeira de 3,8 vezes, se considerada a relação entre dívida líquida e geração de caixa operacional (Ebitda). No primeiro trimestre de 2020 esse nível era de 3 vezes.

"Esse perfil de dívida é adequado à Taesa, visto que temos um nível de custo financeiro baixo e prazo longo. Então não temos nenhuma dificuldade de manter esse endividamento e esse nível de estrutura de capital", disse o diretor financeiro, Erik Breyer.

"Até costumo dizer aqui na Taesa que é até o contrário, nosso desafio é manter o nível de alavancagem alto, através da obtenção de boas oportunidades de investimento. Essa alavancagem, se a gente não conseguir um uso adequado dentro da companhia (para o caixa gerado) ela rapidamente cai, cai muito rápido, em função do fluxo de caixa contínuo que temos."

O diretor destacou ainda que a Taesa pretende manter elevado nível de distribuição de proventos, entre 50% e 100% dos lucros, embora não tenha estabelecido uma política de dividendos bem definida.

"Discutimos muito no planejamento estratégico se íamos construir uma métrica... e a gente viu que o melhor para maximização de valor das ações é a gente deliberar conforme o momento", acrescentou Breyer.

"Nossa missão é buscar crescimento e geração de valor. Pagar ao menos de 50% a 100%, baseado nas expectativas que a gente tem de ter um bom uso do recurso ou não. Sendo sempre uma 'cash-cow', uma empresa muito pagadora de dividendo."

(Por Luciano Costa)