Mercado fechará em 2 h 32 min
  • BOVESPA

    115.992,07
    -471,99 (-0,41%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.054,70
    -998,86 (-2,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,10
    +0,49 (+0,93%)
     
  • OURO

    1.845,40
    -5,50 (-0,30%)
     
  • BTC-USD

    30.720,84
    -782,18 (-2,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    621,53
    -18,39 (-2,87%)
     
  • S&P500

    3.795,47
    -54,15 (-1,41%)
     
  • DOW JONES

    30.609,64
    -327,40 (-1,06%)
     
  • FTSE

    6.567,21
    -86,80 (-1,30%)
     
  • HANG SENG

    29.297,53
    -93,73 (-0,32%)
     
  • NIKKEI

    28.635,21
    +89,03 (+0,31%)
     
  • NASDAQ

    13.309,75
    -175,75 (-1,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5391
    +0,0283 (+0,43%)
     

Tabloides britânicos Daily Mirror e Daily Express vão cortar 550 vagas

·1 minuto de leitura
Reach, grupo editor dos jornais britânicos Daily Mirror e Daily Express, anuncia demissão de 550 funcionários

O grupo de imprensa britânico Reach, dono dos tabloides Daily Mirror e Daily Express, enfraquecido pela crise do coronavírus, anunciou nesta terça-feira (7) que reduzirá em 12% seu quadro de funcionários, com o corte de 550 vagas.

A Reach busca economizar 35 milhões de libras por ano (US$ 43 milhões) com essa reestruturação que planeja reunir as equipes editoriais de seus títulos de imprensa nacionais e regionais em uma estrutura centralizada, explicou o grupo, em um comunicado.

As equipes de vendas e financeiras serão reduzidas e a estrutura de gestão será simplificada, acrescenta a nota.

"As mudanças estruturais aceleraram no setor de mídia durante a pandemia, levando ao aumento do consumo dos nossos produtos digitais", disse o CEO, Jim Mullen.

"No entanto, devido à queda na demanda por publicidade, não vimos um aumento equivalente em nossa receita digital", afirmou.

No segundo trimestre, os ganhos do grupo caíram 27,5%, devido à queda nas vendas de jornais de papel e na receita com publicidade.

Em contrapartida à reestruturação, a Reach disse que encerrará os cortes salariais impostos às suas equipes no início da pandemia, com exceção de executivos e diretores, cujos salários continuarão sendo reduzidos em 20%. O pagamento de dividendos aos acionistas foi cancelado.