Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.512,38
    +480,41 (+0,43%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.801,68
    +163,32 (+0,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,13
    -2,28 (-2,55%)
     
  • OURO

    1.790,40
    -7,70 (-0,43%)
     
  • BTC-USD

    23.950,06
    -138,86 (-0,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    569,15
    -2,76 (-0,48%)
     
  • S&P500

    4.305,20
    +8,06 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.152,01
    +239,57 (+0,71%)
     
  • FTSE

    7.536,06
    +26,91 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    19.830,52
    -210,34 (-1,05%)
     
  • NIKKEI

    28.868,91
    -2,87 (-0,01%)
     
  • NASDAQ

    13.663,50
    -17,75 (-0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2326
    +0,0541 (+1,04%)
     

Tabela do IR acumula defasagem de 31,3% sob Bolsonaro e correção é adiada para 2023

No início de 2022, a defasagem acumulada da tabela do IR das pessoas físicas estava em 134,5%. Foto: Getty Images.
No início de 2022, a defasagem acumulada da tabela do IR das pessoas físicas estava em 134,5%. Foto: Getty Images.
  • Levantamento tem em conta a inflação medida pelo IPCA no acumulado de janeiro de 2019 a junho de 2022;

  • O último reajuste da tabela do Imposto de Renda aconteceu em 2015;

  • Atualização da tabela foi promessa da campanha de Bolsonaro em 2018 e não foi cumprida.

Cálculos feitos pela Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Unafisco) apontam que, com a aceleração da inflação, a tabela de Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) chegou a 31,3% no governo de Jair Bolsonaro. A contabilidade foi realizada a pedido do portal G1.

O levantamento leva em conta a inflação medida pelo IPCA no acumulado entre janeiro de 2019 e junho de 2022.

Leia também:

O último reajuste da tabela do Imposto de Renda aconteceu em 2015. O crescimento da defasagem vem aumentando a tributação aos mais pobres. A cada ano que se passa, um número maior de brasileiros começa a pagar o imposto de renda.

O estudo da Unafisco aponta que a defasagem acumulada da tabela do IR das pessoas físicas de 1996 a junho de 2022 é de 147,4%. No início de 2022 estava em 134,5%.

A promessa de atualização da tabela foi feita na campanha de Bolsonaro em 2018. Na época, o então candidato havia defendido também a isenção para aqueles que ganhassem até 5 salários mínimos.

Não cumprida até agora, a mudança do IR virou promessa para 2023. De acordo com o que o presidente disse nesta semana, a correção já foi acertada com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

*Com informações do G1.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos