Mercado abrirá em 9 h 53 min
  • BOVESPA

    114.177,55
    -92,52 (-0,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    55.164,01
    +292,65 (+0,53%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,23
    +0,22 (+0,27%)
     
  • OURO

    1.930,30
    +0,30 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    22.678,48
    -501,47 (-2,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    514,27
    -12,91 (-2,45%)
     
  • S&P500

    4.060,43
    +44,21 (+1,10%)
     
  • DOW JONES

    33.949,41
    +205,57 (+0,61%)
     
  • FTSE

    7.761,11
    +16,24 (+0,21%)
     
  • HANG SENG

    22.503,68
    -63,10 (-0,28%)
     
  • NIKKEI

    27.377,93
    +15,18 (+0,06%)
     
  • NASDAQ

    12.040,25
    -66,50 (-0,55%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5200
    +0,0003 (+0,01%)
     

Técnico camaronês elogia "espírito de luta" e explica afastamento do goleiro Onana

Técnico de Camarões Rigobert Song

Por Julien Pretot

AL WAKRAH, Catar (Reuters) - O técnico de Camarões, Rigobert Song, elogiou o espírito de luta de sua equipe após o empate em 3 x 3 com a Sérvia na Copa do Mundo nesta segunda-feira, sem o goleiro titular André Onana, que foi afastado por motivos disciplinares.

Onana foi marcado como "ausente" na ficha do time no estádio Al Janoub, e Song explicou que precisava colocar a equipe em primeiro lugar para um jogo que deixou os Leões Indomáveis ​​com um ponto no grupo antes de enfrentar o Brasil.

"Ele é um jogador muito importante, mas estamos em uma competição e meu papel é colocar o time em primeiro lugar, à frente de um indivíduo", disse Song em entrevista coletiva em meio a relatos de divergências táticas.

"Ele é um dos melhores goleiros da Europa. Não se trata de suas atuações, mas você tem que preservar o elenco", acrescentou sobre o goleiro da Inter de Milão.

"Talvez precisássemos de um sinal forte. É um grande risco que corri. Mas sou o pai dessas crianças, então quando tenho que correr riscos e tomar decisões, faço isso e mantenho o que faço."

Song, de 46 anos, que somou um recorde de 137 partidas pela seleção de Camarões e disputou quatro Copas do Mundo com a seleção africana, ainda não decidiu se Onana será mandado para casa ou se terá uma segunda chance.

"Vamos ver se ele continua. Veremos se ele cumpre as regras novamente", disse ele.

"O mais importante é dar emoção ao povo camaronês. O que importa é a mentalidade e o espírito coletivo e, nesse aspecto, fizemos um grande jogo. Mostramos espírito de luta."

Camarões tem uma montanha a escalar em seu último jogo do Grupo G na sexta-feira, já que precisa vencer o Brasil para ter chance de chegar às oitavas de final.

"É possível. Acreditamos nisso", disse Song. "Camarões ainda tem um papel a desempenhar nesta Copa do Mundo."

(Reportagem de Julien Pretot)