Mercado fechado

Sylvinho tem números piores que os de Mancini no Corinthians

·4 min de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 25.02.2018 - O técnico Sylvinho, atual treinador do Corinthians. (Foto: Greg Salibian/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 25.02.2018 - O técnico Sylvinho, atual treinador do Corinthians. (Foto: Greg Salibian/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Sylvinho tem mais 11 jogos no Campeonato Brasileiro para alcançar a meta do Corinthians de conquistar uma vaga na próxima Copa Libertadores —o próximo deles é neste domingo (24), quando vai enfrentar o Internacional, às 16h, em Porto Alegre.

Com a proximidade do fim do Nacional, o treinador vive seu momento de maior pressão no clube alvinegro, e parte da torcida cobra sua demissão.

Contratado em maio, o técnico exibe desempenho pior do que o do seu antecessor, Vagner Mancini, que também teve passagem questionável pelo clube. Com o ex-treinador, o rendimento era de 54% —foram 45 jogos: 20 vitórias, 13 empates e 12 derrotas. O atual comandante tem aproveitamento de 47%: 10 vitórias, 11 empates e 8 derrotas.

O revés mais recente foi na última rodada, derrota por 1 a 0 para o São Paulo, no Morumbi, num duelo no qual teve dificuldades tanto para atacar como para se defender.

Com 40 pontos, está na sétima posição do Brasileiro, que, por enquanto, não assegura vaga na fase preliminar da Libertadores —a sexta colocação está justamente sob posse do Inter, que tem pontuação semelhante a dos corintianos, mas leva vantagem no saldo de gols (7 a 4).

Além do desempenho pior do que o do antecessor, demitido justamente pela falta de resultados, Sylvinho nunca foi uma unanimidade entre os torcedores, mesmo tendo um passado como jogador do clube, pelo qual atuou de 1994 a 1999. Quando foi apresentado para comandar o time, tentou, inclusive, resgatar essa memória dos corintianos.

O técnico também não foi a primeira nem a segunda opção da diretoria, que havia fracassado nas tentativas para contratar Renato Gaúcho, o preferido e atualmente no Flamengo, e Diego Aguirre, agora no Inter.

A falta de experiência do ex-lateral esquerdo como treinador sempre foi apontada como uma barreira a ser superada. O Corinthians é apenas o segundo time que ele comanda. O primeiro foi o Lyon (FRA), em 2019, clube que dirigiu por apenas 11 jogos antes de ser demitido –três vitórias, quatro empates e quatro derrotas.

Para reforçar sua aposta em Sylvinho, a diretoria corintiana se fiou na vivência que ele teve com Tite no próprio time alvinegro, em 2013, quando foi auxiliar do atual técnico da seleção brasileira. Em 2016, ele assumiu a mesma função na equipe verde-amarela e fez parte da comissão técnica na Copa do Mundo de 2018.

O clube acreditou que poderia ter sucesso como teve com Fábio Carille (hoje no Santos), que também trabalhou com Tite e conquistou três Paulistas (2017, 2018 e 2019) e o Brasileiro 2017 quando assumiu o comando da agremiação alvinegra.

Entre os sete primeiros colocados, o time do Parque São Jorge tem o pior ataque, com 28 gols. Seguindo a ordem da tabela, o Atlético-MG fez 42, o Flamengo anotou 46, o Palmeiras marcou 40, o Fortaleza, 35, o Red Bull Bragantino, 43, e o Inter balançou a rede 35 vezes.

A cobrança cresceu porque o treinador alvinegro tem algo que não estava à disposição de Mancini: um elenco de maior qualidade. A equipe chegou a subir de produção e enfileirar bons resultados com as chegadas de Giuliano, Renato Augusto, Róger Guedes e Willian, mas sentiu a sequência de jogos e caiu. Aí, o comandante voltou a ser questionado.

Fora de campo, o comportamento de Sylvinho também tem chamado a atenção da torcida. Recentemente, viralizou nas redes sociais o trecho de uma preleção do treinador que acabou virando motivo de piada para rivais pelos gestos e entonação das palavras.

O próprio treinador reconhece que tem um jeito "pilhado", como ele mesmo definiu em sua apresentação.

O presidente do clube, Duílio Monteiro Alves, era diretor-adjunto de futebol na época em que o comandante foi auxiliar de Tite.

Por enquanto, o mandatário diz que conta com Sylvinho. "Abrirá [2022 como técnico do Corinthians]. Mas o futebol é dinâmico. Se não ganha um jogo amanhã, vão falar que ele está pendurado", afirmou em entrevista recente à ESPN.

Contra o Inter, Sylvinho terá a volta de seu lateral direito titular, suspenso no clássico. Assim, deverá escalar o seguinte time: Cássio; Fagner, Gil, Raul Gustavo e Fábio Santos; Cantillo, Renato Augusto e Giuliano; Gustavo Mosquito (Adson ou Jô), Gabriel Pereira e Róger Guedes.

Pelo lado colorado, Aguirre aguarda avaliação do departamento médico sobre parte de seus titulares, com desgaste físico. A equipe gaúcha vem de partida na quinta (21), quando se frustrou com empate em 1 a 1 com o Bragantino, com direto a gol marcado pelo adversário aos 49 minutos do segundo tempo.

Estádio: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)

Horário: 16h (de Brasília) deste domingo (24)

Árbitro: Bruno Arleu de Araújo (FIFA-RJ)

VAR: Carlos Eduardo Nunes Braga (RJ)

Transmissão: TV Globo, SporTV e Premiere

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos