Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,13 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,46 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.763,90
    -10,90 (-0,61%)
     
  • BTC-USD

    35.261,95
    -548,79 (-1,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    888,52
    -51,42 (-5,47%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,37 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.103,00
    -62,50 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0361
    +0,0736 (+1,23%)
     

‘Sweet Tooth’: conheça a HQ que inspirou a série de Netflix

·3 minuto de leitura
‘Sweet Tooth’: conheça a HQ que inspirou a série de Netflix
‘Sweet Tooth’: conheça a HQ que inspirou a série de Netflix

O cenário, à primeira vista, não parece dos mais originais: o mundo devastado por uma doença misteriosa que dizimou parte da humanidade e os sobreviventes disputam espaço. Essa premissa faz parte de ‘Sweet Tooth’, HQ que inspirou a série de mesmo nome da Netflix, que estreia sexta-feira (4). No entanto, essa descrição é apenas uma pequena parte da história escrita e desenhada por Jeff Lemire, publicada entre 2009 e 2013 pela DC Comics.

Gus, o protagonista de Sweet Tooth, encara alce.
Trama dos quadrinhos também aborda questões ambientais. Crédito: DC Comics/Divulgação

O protagonista é Gus, um garoto de nove anos que é um híbrido de humano e cervo. Assim como ele, outras crianças nasceram com características de animais na mesma época em que teve início uma pandemia que subitamente matou pessoas em todo o globo. Alvo de preconceito e de cobiça, esses meio-humanos são, para alguns, os responsáveis pela pandemia, sendo também caçados como troféus.

Gus vive isolado em uma floresta e, pouco tempo após a morte do seu pai, acaba emboscado por uma dupla de caçadores. O garoto, então, é salvo por Jeppard, um viajante solitário que passava pelo local. Forte e violento, o homem mata a dupla que perseguia a criança e se oferece para levar Gus até um local chamado Santuário, onde estariam outros indivíduos híbridos.

Leia mais:

Um dos mistérios iniciais da trama é se o nascimento dessas crianças com características animais tem relação com a pandemia e se elas representariam uma espécie evoluída, inume à doença que tem dizimado os humanos. E todas as mulheres que ficaram grávidas após esse surto tiveram crianças híbridas.

Em primeiro plano, Jepperd empunha uma arma e é seguido por Gus, que carrega uma mochila.
Relação entre Gus e Jepperd é um dos aspectos mais interessantes da HQ. Crédito: DC Comics/Divulgação

Outra dúvida que persegue os leitores nos números iniciais da HQ é se Jeppard é mesmo alguém confiável, já que é um personagem moralmente ambíguo e extremamente violento.

Aliás, a violência, em suas inúmeras formas, é uma das marcas da série em quadrinhos. Toda a jornada dos personagens principais – e também dos coadjuvantes – é acompanhada por eventos brutais. Gus e outras crianças são caçadas por cientistas inescrupulosos que desejam realizar experimentos. Jeppard é um homem bruto que perdeu a esposa em circunstâncias relacionadas à pandemia.

A publicação

De carona no lançamento da série da Netflix, ‘Sweet Tooth’ ganhou uma republicação no Brasil, em uma coleção de três volumes reunindo as 40 edições originais. Publicado pela Panini, o primeiro número já está disponível nas livrarias.

Gus, o protagonista de Sweet Tooth, come uma barra de chocolate em sequência de quadrinhos.
O nome ‘Sweet Tooth’, que no Brasil foi traduzido como ‘bico doce’, é o apelido de Gus, que tem uma queda por doces. Crédito: DC Comics/Divulgação

Recentemente, o título ganhou uma continuação, uma minissérie em seis edições chamada ‘Sweet Tooth: The Return’, uma espécie de reimaginação da série original, ambientada 300 anos após os eventos de ‘Sweet Tooth’. Essa sequência segue inédita no Brasil.

O autor

O canadense Jeff Lemire é um dos autores mais celebrados das HQs da atualidade e que despontou justamente com a publicação de ‘Sweet Tooth’ pelo selo extinto selo Vertigo, da DC Comics. Essa linha de quadrinhos, hoje intitulada Black Label, ficou conhecida por trazer títulos com temáticas mais adultas e inusitadas, como ‘Preacher’, ‘Sandman’ e ‘Y, o Último Homem’.

Embora tenha trabalhe regularmente escrevendo para editoras como Marvel, em títulos como ‘Thanos’ e ‘Cavaleiro da Lua’, e DC, nas revistas ‘Arqueiro Verde’ e ‘Superboy’, Lemire ganhou prestígio pelos trabalhos autorais. Porém, mesmo ao escrever obras do gênero super-herói, o autor costuma desenvolver tramas mais intimistas e emotivas. Temas como família e paternidade podem ser vistas em algumas de suas obras mais famosas, como ‘Black Hammer’, ‘O Soldador Subaquático’ e ‘Sweet Tooth’.

Confira o trailer da adaptação da Netflix:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos