Mercado fechará em 52 mins
  • BOVESPA

    106.175,55
    -2.613,78 (-2,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.205,76
    -1.258,27 (-2,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    108,96
    -3,44 (-3,06%)
     
  • OURO

    1.817,80
    -1,10 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    29.413,39
    -562,73 (-1,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    657,45
    -13,22 (-1,97%)
     
  • S&P500

    3.928,22
    -160,63 (-3,93%)
     
  • DOW JONES

    31.506,69
    -1.147,90 (-3,52%)
     
  • FTSE

    7.438,09
    -80,26 (-1,07%)
     
  • HANG SENG

    20.644,28
    +41,76 (+0,20%)
     
  • NIKKEI

    26.911,20
    +251,45 (+0,94%)
     
  • NASDAQ

    11.940,50
    -619,75 (-4,93%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2208
    +0,0104 (+0,20%)
     

Suzano tem lucro de R$10,3 bi no 1º tri, apoiado em resultado financeiro

Rolos fabricados pela indústria de papel e celulose

SÃO PAULO (Reuters) -A Suzano viu o lucro líquido disparar no primeiro trimestre, catapultado por ganhos com operações com derivativos que tiveram um resultado positivo de mais de 6 bilhões de reais, segundo balanço publicado nesta quarta-feira.

A companhia, maior produtora de celulose de eucalipto do mundo, teve lucro líquido de 10,3 bilhões de reais entre janeiro e março, apesar do volume vendido do produto ter caído ante mesmo período do ano passado.

O desempenho operacional medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado do período, de 5,12 bilhões de reais, foi 5% maior que o de um ano antes, mas marcou uma queda de 19% na comparação com os três últimos meses de 2021.

Analistas, em média, esperavam que a Suzano divulgasse Ebitda de 5,4 bilhões de reais para o primeiro trimestre.

A Suzano afirmou que o resultado financeiro do primeiro trimestre foi positivo em 12,9 bilhões de reais, revertendo desempenho negativo de 8,7 bilhões de reais um ano antes e melhor que os 2,6 bilhões negativos registrados no quarto trimestre.

Isso ocorreu diante da valorização de 15% do real ante o dólar marcada no final do trimestre, afirmou a Suzano, ressaltando que "o impacto da valorização do real sobre a carteira de derivativos só terá efeito caixa nos respectivos vencimentos".

Além do balanço, a Suzano anunciou um programa de recompra de ações, envolvendo até 20 milhões de papéis ordinários, ou 2,8% das ações em circulação da empresa.

O programa foi anunciado em um momento em que a empresa promove um bilionário programa de investimento em aumento de capacidade de produção de celulose no Mato Grosso do Sul e ao mesmo tempo em que faz desembolsos para expansão de áreas florestais.

Apesar disso, o nível de endividamento da empresa, medido pela relação dívida líquida sobre Ebitda ajustado terminou março em 2,1 vezes, abaixo das 2,5 vezes do final de 2021 e das 3,9 vezes do primeiro trimestre do ano passado, quando medido em reais. Em dólares, a alavancagem ao final de março foi de 2,4 vezes, estável ante o fim de 2021 e abaixo das 3,8 vezes de um ano antes.

Embora venha registrando mercados demandantes por celulose e aplicado elevações sucessivas nos preços do produto nos últimos meses, a Suzano vendeu no primeiro trimestre 2,4 milhões de toneladas da matéria-prima do papel, quedas de 13% sobre o fim do ano passado e de 10% ante o primeiro trimestre de 2021.

A companhia afirmou que isso ocorreu devido a paradas para manutenção de fábricas no trimestre e baixo nível de estoques.

O resultado da Suzano foi divulgado dois dias depois que a rival Klabin publicou balanço do primeiro trimestre, que mostrou alta de 35% no Ebitda sobre um ano antes, apesar de queda de 14% no volume de celulose vendida, embora a empresa tenha incrementado a venda de papéis em 20%.

O custo caixa de produção de celulose da Suzano no trimestre disparou 39% sobre os três primeiros meses do ano passado, para 868 reais por tonelada, excluindo o efeito das paradas de manutenção. Incluindo as paralisações na conta, o custo caixa de celulose da Suzano no período foi de 957 reais, aumento de 54% sobre um ano antes, impactado por alta no custo de produtos químicos, afirmou a empresa no balanço.

No balanço da Klabin, o custo caixa de produção de celulose foi de 1.291 reais por tonelada, alta anual de 66%, excluindo efeitos de paradas de manutenção.

(Por Alberto Alerigi Jr.; edição de André Romani)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos