Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.812,50
    -18,70 (-1,02%)
     
  • BTC-USD

    41.475,86
    +1.670,32 (+4,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

Suzano alerta para ameaça de mais incêndios na Amazônia

·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A Suzano alerta que a atual seca no Brasil pode resultar em mais incêndios florestais na Amazônia este ano.

A seca já devastou lavouras no país, que é o maior exportador de uma variedade de produtos, como açúcar e soja. E agora, o Brasil entra na estação seca. Isso pode significar mais incêndios nas florestas tropicais, fundamentais para absorver os gases de efeito estufa e manter a temperatura do planeta sob controle. No mês passado, o total de focos de queimadas na Amazônia atingiu o maior nível em 14 anos para o mês de maio, segundo dados do governo.

O diretor-presidente da Suzano, Walter Schalka, observa aumento do desmatamento e prevê outra estação seca “muito difícil” para a floresta.

Em 2020, as áreas desmatadas na Amazônia aumentaram 9% em relação ao ano anterior, de acordo com relatório do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia. O governo federal emitiu penalidades para menos de 10% das áreas florestais desmatadas.

A Suzano desenvolve um projeto que protegerá a biodiversidade de mais de meio milhão de hectares na Amazônia, Cerrado e Mata Atlântica. A empresa vai plantar corredores de vegetação conectando 1.850 fragmentos isolados de mata nativa. Isso reduzirá o isolamento das espécies, aumentando a capacidade de reprodução. Até 2030, a Suzano tem como meta capturar carbono equivalente ao volume emitido por Hong Kong em um ano.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos