Mercado fechará em 2 h 35 min
  • BOVESPA

    121.825,21
    -83,82 (-0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.379,82
    -487,33 (-0,98%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,21
    +0,29 (+0,45%)
     
  • OURO

    1.834,30
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    56.252,88
    -1.248,48 (-2,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.503,96
    +1.261,28 (+519,73%)
     
  • S&P500

    4.147,18
    -41,25 (-0,98%)
     
  • DOW JONES

    34.227,79
    -515,03 (-1,48%)
     
  • FTSE

    6.947,99
    -175,69 (-2,47%)
     
  • HANG SENG

    28.013,81
    -581,89 (-2,03%)
     
  • NIKKEI

    28.608,59
    -909,71 (-3,08%)
     
  • NASDAQ

    13.292,25
    -64,50 (-0,48%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3504
    +0,0102 (+0,16%)
     

Suspensão de voos do Brasil pela França tem baixo impacto imediato, mas preocupa setor no futuro

JOANA CUNHA

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A suspensão de todos os voos relacionados ao Brasil anunciada nesta terça (13) pelo primeiro-ministro francês, Jean Castex​, foi vista entre executivos de companhias aéreas como uma medida de baixo impacto imediato nos negócios porque, na prática, a aviação internacional já vem muito restrita desde o ano passado. O ponto de alerta, porém, é o quanto as medidas desse tipo podem se prolongar, enquanto a imagem do Brasil no controle da pandemia ​segue manchada pelo mundo.