Mercado fechará em 5 h 43 min

Suspensão de vistos por Trump afeta setor de tecnologia da Índia

Saritha Rai

(Bloomberg) -- Empresas de tecnologia da Índia e Estados Unidos pedem ao governo Trump que reconsidere uma ordem executiva de congelar o acesso a muitos vistos de trabalho, alertando que a medida prejudicaria um modelo de negócios usado para conseguir talentos qualificados para clientes de Wall Street ao Vale do Silício.

A ordem executiva de Donald Trump emitida na semana passada suspende a aprovação de uma série de vistos até o fim do ano, incluindo aqueles para transferências entre empresas e programas de estudos no exterior, e visa dar preferência a americanos em meio ao número recorde de demissões devido à pandemia de coronavírus. Os vistos H-1B são essenciais para o setor de tecnologia, usados por profissionais da Índia e de outros países para desempenhar funções importantes.

O processamento de vistos leva meses, portanto, qualquer interrupção pode afetar a capacidade de profissionais essenciais de viajarem para os locais dos clientes por um período prolongado. As medidas de isolamento social já haviam suspendido visitas aos consulados, essenciais no processo, e obrigaram centenas de milhares de profissionais a enfrentarem o desafio de trabalhar em casa.

A Nasscom, uma associação do setor de tecnologia na Índia, classificou a ordem executiva de Trump de “equivocada e prejudicial à economia dos EUA” e alertou que a medida agravaria a crise econômica do país. As empresas indianas fornecem equipe e serviços de tecnologia para hospitais, fabricantes de medicamentos e empresas de biotecnologia dos EUA, apontou a Nasscom. Além disso, o setor pode enviar mais trabalhadores para o Canadá ou México sem acesso ao mercado dos EUA.

“Estes são trabalhadores altamente qualificados, com grande demanda e serão móveis, não importa o que aconteça”, disse Shivendra Singh, presidente de desenvolvimento comercial global da Nasscom.

Outros críticos da ordem executiva incluem o diretor-presidente da Alphabet, Sundar Pichai, o presidente da Microsoft, Brad Smith, e o fundador da Tesla, Elon Musk. Pichai, que foi beneficiário do sistema de vistos H-1B nos anos 90, tuitou: “A imigração contribuiu imensamente para o sucesso econômico da América, tornando-a líder global em tecnologia e também o Google na empresa que é hoje”.

A Índia responde por cerca de 70% dos 85 mil vistos H-1B emitidos anualmente, de acordo com dados de imigração. Desse total, 65 mil vistos são emitidos para talentos estrangeiros com diploma de bacharel, enquanto os 20 mil restantes podem ser destinados a profissionais com diplomas mais avançados.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.