Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.132,53
    +346,23 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.200,59
    -535,89 (-1,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,86
    +0,95 (+2,12%)
     
  • OURO

    1.806,10
    +0,60 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    18.726,69
    -314,14 (-1,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    368,28
    -2,23 (-0,60%)
     
  • S&P500

    3.629,65
    -5,76 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    29.872,47
    -173,77 (-0,58%)
     
  • FTSE

    6.391,09
    -41,08 (-0,64%)
     
  • HANG SENG

    26.669,75
    +81,55 (+0,31%)
     
  • NIKKEI

    26.296,86
    +131,27 (+0,50%)
     
  • NASDAQ

    12.168,75
    +92,75 (+0,77%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3377
    -0,0592 (-0,93%)
     

Suspeito de matar ex-mulher é detido, mas acaba solto por causa da lei eleitoral

·1 minuto de leitura
Suspeito de assassinar ex-mulher é beneficiado por lei eleitoral em SP - Foto: Reprodução/TV Bandeirantes
Suspeito de assassinar ex-mulher é beneficiado por lei eleitoral em SP - Foto: Reprodução/TV Bandeirantes

Um homem suspeito de matar a sua ex-mulher no último sábado (07) foi preso, mas na sequência liberado por se beneficiar do artigo 236 do código eleitoral, a Lei 4737/65. As informações são da TV Bandeirantes.

José Carlos Beato, 48 anos, de acordo com a Polícia Militar, ameaçou sua ex-companheira diversas vezes antes de efetivamente consumar o crime. Alice Cesária, 42 anos, estava na presença do filho e do neto no momento em que foi assassinada.

Leia também

Segundo a emissora, José foi detido pela PM na tarde do último dia (10) e encaminhado para a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Santo André. Apesar disso, acabou liberado por conta do artigo 236 do código eleitoral.

A lei prevê que ninguém pode ser preso desde cinco dias antes e até 48h depois do encerramento das eleições. Casos de flagrante, no entanto, não se enquadram nessa condição.

O primeiro turno das eleições municipais acontece neste domingo (15) em todo o país. De acordo com a TV Bandeirantes, o caso foi registrado como homicídio qualificado (feminicídio) pelo 6º Distrito Policial de Santo André e encaminhado à Delegacia de Defesa da Mulher do município, que abriu inquérito policial.

Em nota divulgada pela emissora, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo confirmou que pediu a prisão temporária de José Carlos Beato, porém a medida ficou impossibilidade pela lei eleitoral.