Mercado abrirá em 5 h 23 min
  • BOVESPA

    122.937,87
    +1.057,05 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.371,98
    +152,72 (+0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,93
    +0,66 (+1,00%)
     
  • OURO

    1.870,50
    +2,90 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    45.175,98
    +405,02 (+0,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.256,77
    +58,86 (+4,91%)
     
  • S&P500

    4.163,29
    -10,56 (-0,25%)
     
  • DOW JONES

    34.327,79
    -54,34 (-0,16%)
     
  • FTSE

    7.091,18
    +58,33 (+0,83%)
     
  • HANG SENG

    28.570,14
    +376,05 (+1,33%)
     
  • NIKKEI

    28.406,84
    +582,01 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    13.427,00
    +123,50 (+0,93%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4277
    +0,0178 (+0,28%)
     

Suposta ganhadora da Mega da Virada diz ter falhas de memória, segundo Procon

LUCA CASTILHO
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma mulher com mais de 60 anos, que sofre com problemas de memória, se apresentou ao Procon-SP como suposta vencedora da Mega da Virada 2020, cujo prêmio de R$ 162,6 milhões não foi resgatado a tempo e voltou para o cofre do governo. Quem contatou o órgão de defesa do consumidor foi um representante legal da apostadora. Segundo o Procon, que divulgou que um consumidor o procurou afirmando ser o vencedor, esse representante buscou a fundação pouco mais de uma semana depois de acabar o prazo de 90 dias para retirar a bolada. "Nós sabemos que ela tem problemas de memória e sofre apagões, e isso impediu ela de tomar conhecimento do fato. Nós não vamos dar a identificação da pessoa porque, se ela realmente for a vencedora, pode querer se manter sob sigilo", diz Fernando Capez, diretor-executivo do Procon-SP. Ainda segundo o órgão, o representante legal juntou no pedido de reclamação o bilhete físico de uma aposta feita em uma lotérica, diferentemente do noticiado pela Caixa Econômica Federal, que disse que a aposta foi feita por meios eletrônicos. A reportagem perguntou, nesta sexta-feira (23), se a Caixa mantinha a informação de que a aposta vencedora havia sido feita pela internet, mas o banco não respondeu a esse questionamento. "A discussão de ser eletrônico ou físico é especulativa, o fato é que existe o documento, um bilhete da aposta original com os números premiados", comenta Capez. Segundo o diretor-executivo, o Procon-SP irá submeter, na próxima semana, esse bilhete a uma perícia da polícia científica para determinar se a mulher é realmente a vencedora do prêmio esquecido. Capez ainda disse que o Procon notificou a Caixa, mas que a instituição financeira respondeu que mantém a posição de manter o prazo vencido. Segundo as regras do concurso, os vencedores têm até 90 dias após a realização do sorteio para retirar o prêmio ou perdem a bolada. CAIXA MANTÉM PRAZO À reportagem, a Caixa informa que recebeu nesta quinta (22) expediente do Procon-SP a respeito do assunto e que prestará as informações solicitadas àquele órgão. O banco informa que, de acordo com a lei 13.756/2018, cabe exclusivamente ao apostador solicitar o recebimento de prêmios de loterias em até 90 dias. A lei estabelece, ainda, que todo prêmio não reclamado no prazo seja repassado ao Fies (Fundo de Financiamento Estudantil). "Outros detalhes sobre o recebimento de prêmios estão disponíveis no menu Dúvidas, no Portal Loterias CAIXA, em https://www.loteriasonline.caixa.gov.br, na seção Premiação", informa o banco, em nota.