Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,45 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,37 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,28
    -1,66 (-2,13%)
     
  • OURO

    1.754,00
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    16.584,24
    +146,55 (+0,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    386,97
    +4,32 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,97 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.573,58
    -87,32 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.283,03
    -100,06 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.782,80
    -80,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6244
    +0,0991 (+1,79%)
     

Supermercados de SP procuram antecipar logística diante de atos golpistas

SÃO PAULO, SP, E RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A Apas (Associação Paulista de Supermercados) afirmou nesta terça-feira (1º) que orientou seus 4.500 supermercados associados, desde segunda (31), a antecipar a logística em relação às suas lojas e centros de distribuição, tendo em vista os atos antidemocráticos observados nas estradas brasileiras, que contestam a derrota do atual presidente Jair Bolsonaro (PL) para Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições deste ano.

"Apesar de todos os esforços", diz a Apas em nota, "alguns supermercados de algumas regiões do estado de São Paulo passaram a relatar na manhã desta terça-feira a falta de alguns itens dos setores de frutas, legumes, verduras e do açougue."

Questionados pela reportagem, os dois maiores grupos do varejo alimentar do país, Carrefour e Pão de Açúcar (GPA), afirmam que até agora os problemas são pontuais.

O Carrefour, dono das redes Carrefour e Atacadão, informou que "segue sem grandes problemas de abastecimento em suas lojas em função dos volumes de estoques e que busca alternativas para atender todos os seus clientes caso as paralisações continuem". O GPA diz registrar "atraso pontual no recebimento e expedição de algumas mercadorias, ainda sem impacto significativo. A rede trabalha em alternativas para minimizar ao máximo qualquer intercorrência."

De acordo com a Apas, não é necessário a mudança do comportamento de compra dos consumidores. "A entidade acredita que a ordem será reestabelecida em breve", informa em nota.

RIO DE JANEIRO

A situação dos estoques nos supermercados do estado do Rio de Janeiro é "regular", disse nesta terça-feira a Asserj (Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro).

A exceção é a dos produtos de hortifrúti, em "episódios pontuais", segundo a entidade. A associação afirma que monitora o quadro de abastecimento do setor.