Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +1,69 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.844,00
    +20,00 (+1,10%)
     
  • BTC-USD

    49.317,16
    -1.292,89 (-2,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,33
    +39,77 (+2,93%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.398,00
    +297,75 (+2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0085 (-0,13%)
     

Superliga europeia é deixada de lado com retirada de mais times

Simon Evans
·1 minuto de leitura

Por Simon Evans

MANCHESTER, Inglaterra (Reuters) - A Superliga europeia entrou em colapso nesta quarta-feira com oito dos 12 membros fundadores da Inglaterra, Itália e Espanha abandonando o projeto após pressão de torcedores, políticos, autoridades do futebol e até de membros da família real britânica.

Um dos fundadores, o presidente da Juventus, Andrea Agnelli, contou à Reuters que está pedindo relutantemente tempo à nova liga após seis clubes ingleses saírem na terça-feira, seguidos do Inter de Milão e Atlético de Madri, e o AC Milan indicar que sairia também.

Agnelli disse que ainda acreditava nos méritos da Superliga, apesar das críticas generalizadas, e que não tinha arrependimentos sobre como o processo foi conduzido.

A própria Juventus não chegou a dizer que a nova liga está morta, mas reconheceu que as chances do projeto ser concluído na forma em que foi concebido originalmente eram limitadas.

A Superliga argumentou que o projeto aumentaria a receita dos principais clubes de futebol na Europa, e permitiria que assim eles distribuíssem mais dinheiro para o resto do esporte.

Entidades que comandam o futebol, outros clubes e organizações de torcedores, no entanto, dizem que a nova liga aumentaria apenas o poder e a riqueza dos clubes da elite, e que a estrutura parcialmente fechada vai contra o modelo de longa data adotado pelo futebol europeu.

(Reportagem de Simon Evans, Elvira Pollina, Ian Ransom e Sudipto Ganguly; Reportagem adicional de Giulia Segreti, em Roma, Guy Faulconbridge, em Londres, e Arvind Sriram, em Bengaluru)