Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.767,45
    -497,51 (-0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.129,88
    -185,81 (-0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,08
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.780,50
    +3,10 (+0,17%)
     
  • BTC-USD

    33.866,05
    +1.326,36 (+4,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    809,62
    +15,29 (+1,93%)
     
  • S&P500

    4.246,44
    +21,65 (+0,51%)
     
  • DOW JONES

    33.945,58
    +68,61 (+0,20%)
     
  • FTSE

    7.090,01
    +27,72 (+0,39%)
     
  • HANG SENG

    28.488,02
    +178,26 (+0,63%)
     
  • NIKKEI

    28.934,91
    +50,78 (+0,18%)
     
  • NASDAQ

    14.288,00
    +29,75 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9113
    -0,0085 (-0,14%)
     

Super-ricos nos EUA pagam 'quase nada' de imposto de renda, indicam declarações vazadas

·4 minuto de leitura
Colagem de fotos de Jeff Bezos, Warren Buffet e Elon Musk
Reportagens da ProPublica dizem ter tido acesso a documentos de Jeff Bezos, Warren Buffet e Elon Musk

Bilionários americanos como Jeff Bezos e Elon Musk, nomes que estão entre os mais ricos do mundo, chegaram a pagar pouco ou nenhum imposto em determinados anos, segundo revelou o site jornalístico ProPublica.

Bezos, fundador da Amazon, não pagou impostos em 2007 e 2011, enquanto Musk, da Tesla, não pagou nada em 2018. As informações reveladas até aqui não indicam ilegalidade, mas sim esquemas que permitem aos super-ricos usarem o sistema a seu favor.

Usando dados coletados pela revista Forbes, a ProPublica disse que, coletivamente, a fortuna dos 25 americanos mais ricos aumentou US$ 401 bilhões de 2014 a 2018 — mas eles pagaram US$ 13,6 bilhões em impostos de renda ao longo desses anos.

De acordo com o site, as 25 pessoas mais ricas dos Estados Unidos pagam menos impostos — uma média de 15,8% da renda bruta — do que o padrão para a maioria dos trabalhadores americanos.

A organização de jornalismo investigativo afirmou ter tido acesso a declarações de impostos, entre outros tipos de documentos, que compõem um "vasto tesouro de dados da Receita", e prometeu novas revelações nas próximas semanas.

Jen Psaki, chefe de imprensa da Casa Branca, afirmou que "qualquer divulgação não autorizada de informações confidenciais do governo" é ilegal. Órgãos fiscais e o FBI (a polícia federal americana) também abriram investigações sobre o vazamento.

Jeff Bezos gesticulando e falando, na frente de fundo preto
Fundador da Amazon, Jeff Bezos não pagou impostos em 2007 e 2011, segundo a ProPublica

A BBC não conseguiu confirmar por conta próprias as revelações da ProPublica.

Um dos bilionários mencionados, o filantropo George Soros, também teria pago impostos mínimos. Seu escritório não respondeu a um pedido da BBC por posicionamento, mas disse em um comunicado à ProPublica que Soros não precisou pagar impostos por alguns anos devido a perdas em investimentos. A nota afirmou ainda que Soros apoia o aumento de impostos para os americanos mais ricos.

O ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg também teve dados revelados e afirmou que o conjunto de reportagens fere direitos de privacidade — e por isso usaria "meios legais" para descobrir a fonte do vazamento.

'Pagar zero impostos nos deixou no chão'

Antes, a ProPublica já tinha publicado várias notícias sobre como os cortes no orçamento da Receita americana prejudicaram sua capacidade de fiscalizar as grandes corporações. Segundo a organização jornalística, ela recebeu os documentos agora vazados em reação a esta cobertura anterior.

Jesse Eisinger, repórter sênior e editor da ProPublica, disse ao Today Programme, programa de rádio da BBC: "Ficamos bastante surpresos de que é possível reduzir [os impostos] a zero se você for um multibilionário. A realidade é que pagar zero impostos nos deixou no chão. Ultra-ricos conseguem contornar o sistema de uma forma totalmente legal."

"Eles têm uma habilidade enorme para encontrar deduções, créditos e brechas."

Em linhas gerais, eles são beneficiados pela não computação de propriedades e ações como renda — que seria tributável, como o recebimento de um salário.

Os bilionários conseguem ainda comprar ou construir ativos, ou herdar fortunas, e usar suas riquezas como garantia em empréstimos.

"Eles pegam emprestado de um banco a uma taxa de juros relativamente baixa, vivem disso e podem usar as despesas com juros para dedução de suas receitas", explicou Eisinger.

De pé, Biden gesticula falando em frente a microfones
Biden prometeu aumentar impostos sobre os mais ricos nos EUA

Os ricos, como outros cidadãos, podem reduzir também o valor pago à Receita através de doações para instituições de caridades e usando dinheiro da receita com investimentos, em vez da renda obtida com salários.

"Os juros de empréstimos podem ser deduzidos de qualquer outra receita de forma a reduzir ainda mais o passivo de imposto de renda. Parece chocante — mas é legal", analisa o editor de negócios da BBC, Simon Jack.

"Isso, dizem defensores (dessas brechas), é o capitalismo em ação. Mas como tem acontecido com o tema da tributação das multinacionais, o clamor por mudanças fiscais está ficando maior."

"Não é de se admirar que muitos políticos em todo o mundo — como Elizabeth Warren nos EUA e Jeremy Corbyn e John McDonnell no Reino Unido — e acadêmicos como Thomas Piketty tenham defendido nos últimos anos que tributemos a riqueza, e não a renda", completa Jack.

Em sua campanha eleitoral de 2020, e agora como presidente, Joe Biden prometeu em diversas ocasiões aumentar os impostos sobre os americanos mais ricos.

Para seu pacote de investimentos em infraestrutura anunciado em abril, o democrata apontou como fonte de verbas o aumento em impostos sobre investimentos e heranças.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos