Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,44 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,75 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,74
    -1,49 (-1,83%)
     
  • OURO

    1.668,30
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.232,81
    -255,11 (-1,31%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,10 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,96 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,84 (-1,83%)
     
  • NASDAQ

    11.058,25
    -170,00 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3079
    +0,0099 (+0,19%)
     

Super-ricos aumentaram em 46 mil em 2021, afirma Credit Suisse

Lista de super-ricos cresceu em 2021, apontou Credit Suisse
Lista de super-ricos cresceu em 2021, apontou Credit Suisse
  • Categoria é utilizada para aqueles que tem uma fortuna estimada em mais de US$ 50 milhões;

  • Relatório foi feito pelo Credit Suisse, um dos maiores bancos de investimentos do mundo;

  • Brasil aparece na lista de milionários com 266 nomes.

No ano passado o mundo ganhou 46 mil novos super-ricos, apontou um novo relatório do banco Credit Suisse. A categoria é utilizada para designar aqueles que têm uma fortuna estimada em mais de US$ 50 milhões, ou R$ 258 milhões na conversão atual.

Divulgado nesta terça-feira (20), o documento aponta que ao todo 264.200 finalizaram o ano de 2021 com uma fortuna desse tamanho. No entanto, deste total, alguns são bem mais ricos do que outros. Aqueles que possuem uma fortuna maior de US$ 100 milhões, ou R$ 516 milhões, contabilizam 84.790 pessoas, enquanto apenas 7.070 indivíduos detém uma fortuna maior de US$ 500 milhões, ou R$ 2,5 bilhões.

O relatório também analisou de onde são esses novos super-ricos. Os Estados Unidos lidera com o maior número de pessoas que entraram nessa categoria de riqueza, com 30.470 mil, ou dois terços do total. A China aparece na segunda posição, com 5,2 mil novos super-ricos. Em terceiro, quarto e quinto lugar aparecem a Alemanhã, Canadá e Austrália, respectivamente.

O Brasil aparece em outra parte no estudo, que detalha o número de pessoas no mundo com mais de US$ 1 milhão. Segundo o Credit Suisse, a lista de milionários cresceu em 5,2 milhões em 2021, atingindo o número de 62,5 milhões de pessoas. Destes, apenas 266 são brasileiros.

Os dados do Credit Suisse reforçam a concentração de renda mundial na mão de poucos. O 1% dos mais ricos possuíam, no final de 2021, cerca de 45,6% de toda riqueza mundial. Esse número é maior do que aquele registrado em 2019, que era de 43,9%. Ou seja, houve um movimento de concentração de renda nesses anos.