Mercado fechado

Superávit primário de janeiro é o maior da série histórica para o mês

Estevão Taiar e Alex Ribeiro

Setor público consolidado registrou superávit primário de R$ 56,276 bilhões no mês passado O superávit primário de R$ 56,276 bilhões registrado em janeiro pelo setor público consolidado foi o maior para o mês de toda a série histórica, iniciada em 2002, informou nesta sexta-feita o chefe do departamento de estatísticas do Banco Central (BC), Fernando Rocha.

Em entrevista coletiva, Rocha afirmou que fatores sazonais ajudam a explicar o resultado, mas também destacou que houve uma melhora do quadro não ligada à sazonalidade.

Reprodução / Facebook FGV-Ibre

As receitas líquidas do governo central, por exemplo, cresceram 6,4%, descontada a inflação, na comparação com janeiro de 2019. Por sua vez, as despesas caíram 3,3%, também em termos reais.

Assim, o governo central também apresentou o maior superávit da série histórica, somando R$ 45,469 bilhões. Apesar disso, o déficit do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) foi o maior desde o início da série, atingindo R$ 15,369 bilhões.

Por fim, Rocha chamou a atenção para o superávit nominal – que inclui gastos com juros – atingido em janeiro, de R$ 19,120 bilhões. "Superávits nominais não são comuns", disse, acrescentando, porém, que em janeiro de 2018 e 2019 o resultado também foi positivo.