Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.750,22
    +1.458,62 (+1,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.646,03
    -288,18 (-0,66%)
     
  • PETROLEO CRU

    46,09
    +0,45 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.842,00
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    19.102,66
    +54,37 (+0,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    365,19
    -14,05 (-3,71%)
     
  • S&P500

    3.699,12
    +32,40 (+0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.218,26
    +248,74 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.550,23
    +59,96 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    26.835,92
    +107,42 (+0,40%)
     
  • NIKKEI

    26.751,24
    -58,13 (-0,22%)
     
  • NASDAQ

    12.509,25
    +47,00 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2497
    +0,0137 (+0,22%)
     

SulAmérica tem lucro das operações continuadas de R$286 mi no 3º tri

Por Aluisio Alves
·1 minuto de leitura

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A seguradora e administradora de recursos de terceiros SulAmérica teve forte aumento do lucro no terceiro trimestre, refletindo menor uso de serviços de saúde eletivos em meio às medidas de isolamento social durante a pandemia da Covid-19.

A companhia anunciou nesta quinta-feira que teve lucro de 286 milhões de reais no terceiro trimestre, um aumento de 40,1% ante mesma etapa de 2019. Em termos líquidos, o lucro somou 1,7 bilhão de reais, com ganho extraordinário de 1,4 bilhão com a conclusão da venda dos negócios de seguros de automóveis e massificados.

As receitas operacionais da companhia somaram 5,1 bilhões de reais no trimestre, crescimento anual de 4,5%, impulsionado principalmente pelos segmentos de saúde e odonto e previdência.

Porém, o chamado índice de sinistralidade, que mede as despesas com prestação de serviços de saúde e pagamento de seguros como proporção das receitas, caiu 4,2 pontos percentuais no comparativo ano a ano.

Já a divisão de gestão de recursos fechou setembro com 46,1 bilhões em ativos, crescimento de 2,7% em 12 meses, com a expansão das reservas de previdência (+11,2%)e recursos de terceiros (+1,6%).

Com isso, as receitas com taxas de administração subiram 2,9% ano a ano, mais do que compensando a queda com receitas de performance, esvaziadas pelo fraco desempenho do mercado de capitais no período, com queda das ações.