Mercado abrirá em 26 mins
  • BOVESPA

    110.249,73
    +1.405,98 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.828,13
    +270,48 (+0,53%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,32
    +0,83 (+1,18%)
     
  • OURO

    1.773,20
    -5,00 (-0,28%)
     
  • BTC-USD

    42.051,66
    -1.246,16 (-2,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.047,19
    -16,65 (-1,57%)
     
  • S&P500

    4.354,19
    -3,54 (-0,08%)
     
  • DOW JONES

    33.919,84
    -50,63 (-0,15%)
     
  • FTSE

    7.068,78
    +87,80 (+1,26%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.077,00
    +53,00 (+0,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1834
    +0,0043 (+0,07%)
     

Subsecretário da Economia da Itália renuncia após comentário sobre Mussolini

·1 minuto de leitura

ROMA (Reuters) - Um subsecretário da Economia da Itália renunciou depois de causar furor ao dizer que um parque de sua cidade-natal deveria ser rebatizado com o nome do irmão do ditador fascista Benito Mussolini.

Claudio Durigon, membro do partido de direita Liga, disse no início deste mês que sua sigla está comprometida a restaurar o nome original do parque de Latina, uma cidade de cerca de 120 mil habitantes do centro da Itália: Arnaldo Mussolini.

O parque foi rebatizado em 2017 para homenagear Giovanni Falcone e Paolo Borsellino, dois magistrados antimáfia destacados que foram assassinados pela máfia siciliana em 1992. Latina foi fundada em 1932, durante o governo fascista, e é associada a Mussolini.

"Esta é nossa história, que alguém quis cancelar mudando o nome daquele parque. Ele precisa voltar a ser o parque Mussolini", disse Durigon a apoiadores em uma manifestação falando ao lado do líder da Liga, Matteo Salvini.

Seus comentários provocaram uma reação política negativa. Partidos de centro-esquerda do governo de união, que inclui a Liga, disseram que apresentariam uma moção de desconfiança ao Parlamento a menos que o subsecretário renunciasse.

Sem ver sinais de que a polêmica arrefeceria, Durigon renunciou na noite de quinta-feira, reconhecendo que cometeu um erro e pedindo desculpas às famílias de vítimas da máfia.

"Não sou, e nunca fui, um fascista", disse ele em um comunicado.

(Por Angelo Amante)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos