Mercado abrirá em 5 h 48 min
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,69 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,11 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    67,89
    +1,63 (+2,46%)
     
  • OURO

    1.783,00
    -0,90 (-0,05%)
     
  • BTC-USD

    48.777,55
    -635,48 (-1,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.253,60
    -188,16 (-13,05%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,72 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.474,33
    -292,36 (-1,23%)
     
  • NIKKEI

    27.938,56
    -91,01 (-0,32%)
     
  • NASDAQ

    15.755,75
    +38,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3783
    -0,0170 (-0,27%)
     

Suíça Transfero lança corretora de criptomoedas voltada a iniciantes

·2 min de leitura

A financeira suíça Transfero, criadora do ativo digital BRZ (pareado ao real), anunciou nesta quinta-feira (4) sua entrada no varejo com uma corretora que terá como público-alvo o cliente iniciante em Bitcoin e afins. A plataforma oferece R$ 100 em BRZ aos primeiros cadastrados.

A corretora permitirá três funções neste início de operação: depositar, converter e sacar. Ela é compatível com depósitos via Pix e não cobrará taxas para realizar transações bancárias e negociações de criptoativos. A Transfero também aposta no BRZ, maior stablecoin (ativo digital pareadas em algum ativo estável) do mundo não atrelado ao valor do dólar. Com ele, é possível movimentar reais entre plataformas de criptomoedas sem depender de intermediação bancária.

Nesse primeiro momento a Transfero realiza compra e venda das criptomoedas Bitcoin, Ethereum, Solana, USDCoin e USD Tether, além do próprio BRZ. Segundo o Infomoney, esse é o novo passo da empresa para expandir na América Latina, principalmente no Brasil.

Imagem: Reprodução/David McBee/Pexels
Imagem: Reprodução/David McBee/Pexels

Apesar de ter sede na Europa, os cinco fundadores da Transfero são brasileiros e muitas pessoas da equipe são naturais daqui. Além disso, a empresa já tinha presença no país no segmento B2B; isto é, prestando serviço a empresas.

A iniciativa nova tenta aproveitar a boa onda do Bitcoin, que apesar de ter passado alguns perrengues no primeiro semestre, continua bem valorizada no cenário mais amplo; nos últimos 12 meses, por exemplo, sua cotação cresceu 340%. Então a demanda por esse tipo de investimento também cresceu.

“A lacuna que a gente enxergou é principalmente nesse nicho do usuário iniciante, que ainda não está tão familiarizado assim com a dinâmica de um livro de ofertas e quer fazer um aporte de um ticket menor e manter a posição por um longo prazo”, disse Safiri Félix, diretor de produtos e parcerias da Transfero, ao InfoMoney.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos