Mercado fechará em 1 h 48 min
  • BOVESPA

    125.517,33
    +905,30 (+0,73%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.154,56
    +244,03 (+0,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,34
    +0,69 (+0,96%)
     
  • OURO

    1.796,00
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    39.270,36
    +1.735,70 (+4,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    922,06
    -7,87 (-0,85%)
     
  • S&P500

    4.402,22
    +0,76 (+0,02%)
     
  • DOW JONES

    34.958,01
    -100,51 (-0,29%)
     
  • FTSE

    7.016,63
    +20,55 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    14.996,75
    +49,00 (+0,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0979
    -0,0105 (-0,17%)
     

Suíça e Alemanha desenvolvem robô para caminhar em Marte

·1 minuto de leitura
Suíça e Alemanha desenvolvem robô para caminhar em Marte
Suíça e Alemanha desenvolvem robô para caminhar em Marte

Cientistas do Instituto Federal de Tecnologia de Zurique, da Suíça, e do Instituto Max Planck, da Alemanha, construíram o SpaceBok, um robozinho quadrúpede originalmente projetado para caminhar sobre a superfície da Lua. Mas uma mudança de planos deve fazer com que o rover mude de destino e viaje para um pouco mais longe: para Marte.

No Planeta Vermelho, o SpaceBok vai enfrentar uma gravidade bem mais forte do que a do nosso satélite natural, além de terrenos muito mais traiçoeiros. Por conta disso, algumas alterações foram feitas no projeto, deixando o conceito ainda mais interessante.

Quando ele chegar a Marte, ele vai poder explorar terrenos que até hoje estão fora dos limites dos robôs com rodas, podendo, por exemplo, escalar colinas ou entrar nas cavernas marcianas.

As inóspitas encostas da superfície de Marte, que são bastante arenosas, rochosas e íngremes, tornam esses terrenos muito difíceis de serem explorados por um robô de quatro pernas, já que exige diferentes tipos de maneiras de caminhar.

Pés chatos, que funcionam como sapatos para neve, podem permitir que o rover enfrente com sucesso o terreno complexo de Marte. Durante os testes, os pesquisadores colocaram várias configurações diferentes para diferentes cenários. Em um deles, usando os pés chatos, o rover foi capaz de subir uma inclinação íngreme de 25 graus.

Agora resta saber quando o robô vai seguir viagem.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos