Mercado fechará em 2 h 24 min
  • BOVESPA

    111.809,61
    +1.229,80 (+1,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.198,13
    +481,06 (+0,93%)
     
  • PETROLEO CRU

    114,11
    +3,78 (+3,43%)
     
  • OURO

    1.846,40
    +0,10 (+0,01%)
     
  • BTC-USD

    29.555,48
    -73,15 (-0,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    648,46
    -12,69 (-1,92%)
     
  • S&P500

    4.063,53
    +84,80 (+2,13%)
     
  • DOW JONES

    32.701,98
    +581,70 (+1,81%)
     
  • FTSE

    7.564,92
    +42,17 (+0,56%)
     
  • HANG SENG

    20.116,20
    -55,07 (-0,27%)
     
  • NIKKEI

    26.604,84
    -72,96 (-0,27%)
     
  • NASDAQ

    12.299,00
    +356,75 (+2,99%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1159
    -0,0285 (-0,55%)
     

Suécia adota nova lei para combater a covid-19

·2 min de leitura
Lata de lixo com a frase "O perigo não acabou - mantenha distância" na cidade sueca de Uppsala

A Suécia, que até agora aplicava uma estratégia menos rígida do que outros países contra a covid-19, votou nesta sexta-feira (8) por ampla maioria uma lei que concede temporariamente ao governo novos poderes contra a epidemia, incluindo pela primeira vez a capacidade de fechar restaurantes e lojas.

Para enfrentar a segunda onda no país nórdico, agora um dos mais afetados da Europa, o Executivo apresentou este projeto de lei em dezembro e adiantou sua entrada em vigor para este domingo, inicialmente prevista para março.

O governo ainda não especificou como e quando prevê aplicar o texto, enquanto o número de mortes relacionadas à covid-19 alcança níveis próximos aos do início do ano.

A nova lei permitirá ao poder Executivo promulgar medidas restritivas em áreas determinadas e impor multas e sanções caso sejam violadas, o que não aconteceu até agora.

Sendo assim, o governo poderá decidir fechar lojas, centros comerciais e transportes públicos, ou limitar o número de pessoas permitidas para reuniões em locais públicos específicos, em vez de recorrer a medidas gerais.

A lei, no entanto, não estabelece que a população fique confinada em casa.

Respondendo por que esta lei não foi aprovada antes, a ministra da Saúde Lena Hallengren disse que "não era algo que achávamos necessário na primavera".

"Depois, tivemos um verão com uma baixa propagação da infecção e depois o trabalho começou no outono", disse ela à rede de televisão pública SVT, em meio a críticas ao governo pela sua estratégia controversa.

Ao contrário de outros lugares da Europa, a Suécia seguia até agora uma estratégia baseada nas recomendações, sem confinamento e praticamente sem medidas coercitivas.

O país de aproximadamente 10,3 milhões de habitantes registrou mais de 480.000 casos de coronavírus e 9.262 mortes, segundo os últimos números de quinta-feira da Agência de Saúde Pública.

hdy/map/pz/pc/mar/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos