Mercado fechado

Streaming de games GeForce Now perde catálogo da Activision Blizzard

Claudio Yuge

Os serviços de streaming de jogos em nuvem estão aos poucos mostrando seu poder e um deles é o GeForce Now, da Nvidia, que está saindo de sua versão beta para chegar ao grande público a US$ 5 mensais — uma ameaça ao Google Stadia. Contudo, a plataforma só permite a você curtir os games de Windows que você já possui, com a devida licença do publicador. E aí é que mora a pegadinha, pois a companhia anunciou nesta terça-feira (11) que a Activision Blizzard deixou de ser uma parceira, derrubando assim um catálogo que conta com hits do calibre de Overwatch, World of Warcraft e a série Call of Duty.

Essa é uma notícia um tanto quanto desanimadora para a semana de lançamento oficial, pois a lista do Battle.net já não conta com muitos títulos de nomes famosos, como Capcom, Electronic Arts, KONAMI, Remedy, Rockstar e Square Enix — todos aparentemente foram removidos após o período de testes.

Imagem: Divulgação/Nvidia

Teoricamente, os contratos da plataforma seriam bons para todos: os usuários poderiam levar sua biblioteca de jogos para qualquer lugar, enquanto os publishers receberiam o mesmo dinheiro e aproximariam o relacionamento com o cliente (que está comprando esses jogos nas mesmas lojas Steam, Epic, UPlay e Battle.net). Ainda, a Nvidia estaria presente no acesso a um computador em nuvem, no lugar da limitação das máquinas dos assinantes.

Nvidia diz que está tentando restabelecer o catálogo

Em comunicado, a Nvidia diz que espera entrar em um acordo com a Activision Blizzard para trazer os jogos de volta, mas a empresa confirmou que, por enquanto, a situação é um pouco complicada — embora não haja mais detalhes sobre isso. Já a publicadora de títulos não se posicionou oficialmente sobre o assunto.

Imagem: Divulgação/Nvidia

A Nvidia também se recusou a dizer se estaria aberta a compartilhar uma fatia de suas taxas de assinatura com os publishers. A Activision Blizzard, por outro lado, tem uma política conhecida que impede especificamente os usuários de jogarem seus títulos nos serviços de jogos na nuvem — ainda assim, isso não explicaria essa questão, pois isso não foi um problema durante a fase beta do GeForce Now.

O jeito é aguardar mais um pouco, pois, como se trata de uma novidade, aparentemente os modelos de negócios precisam ser reavaliados antes que o streaming de jogos na nuvem efetivamente se torne uma realidade no grande mercado.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: