Mercado fechado

Streaming da ViacomCBS chega ao Brasil no começo de 2021

Claudio Yuge
·2 minutos de leitura

Nos dois últimos anos o mercado de streaming virou um dos mais concorridos no setor de entretenimento digital e não para de crescer. A mais nova adição é uma plataforma da Viacom CBS, que terá todo o conteúdo original dos canais CBS All Access e Showtime. O acervo contará com todas as atrações do estúdio Paramount e das emissoras CBS, MTV, Comedy Central, Nickelodeon.

A construção dessa plataforma vinha se arrastando desde fevereiro e agora parece que o negócio vai mesmo engrenar. O principal objetivo da ViacomCBS é atrair o público internacional em um serviço dedicado, pois séries como Twin Peaks, Dexter, Californication, Star Trek: Discovery; e filmes como Missão Impossível, O Exterminador do Futuro, Transformers, entre outras, atualmente são distribuídos globalmente por outras empresas. Um dos conteúdos exclusivos para seduzir os assinantes será a adaptação do game Halo.

<em>Twin Peaks (Reprodução/Showtime)</em>
Twin Peaks (Reprodução/Showtime)

O serviço deve estrear no início de 2021, a partir da Austrália, América Latina e países nórdicos, onde devem ganhar diferentes nomes — e onde a plataforma não chegar, o conteúdo da ViacomCBS continua licenciado para terceiros. O Brasil está na lista, mas ainda não há uma data certa para a estreia e nem possíveis valores de assinatura.

Para compreender a estratégia da companhia, basta dar uma olhada nos números abaixo: somados, o CBS All Access e o Showtime somam mais de 32 milhões de assinantes. Com a expectativa de mais 200 milhões de pagantes mensais no mercado até 2025, segundo analistas do setor, essa é uma maneira da empresa encostar ou superar o Hulu entre as plataformas estadunidenses com maior número de adeptos.

<em>Líderes do mercado de streaming nos Estados Unidos, com a contagem global de assinantes </em><br><em>(Reprodução/Variety)</em>
Líderes do mercado de streaming nos Estados Unidos, com a contagem global de assinantes
(Reprodução/Variety)

"Vamos continuar trabalhando com nossos colegas de nossa equipe de distribuição para elaborar a abordagem correta para alocar direitos e janelas nesses mercados. Temos mais do que conteúdo suficiente para continuar a licenciar”, disse o presidente e CEO da ViacomCBS Networks International, David Lynn, em comunicado.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: