Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.809,71
    +128,33 (+0,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

STJD delibera sobre caso envolvendo o técnico Jorginho e Walter

·1 min de leitura


Em julgamento sobre o caso envolvendo a ofensa do técnico Jorginho para com o atacante Walter, do Botafogo-SP, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) decidiu nesta quinta-feira (21) absolver o técnico do Figueirense.

>Aplicativo de resultados do LANCE! está disponível na versão iOS

Em confusão ocorrida na partida do dia 22 de agosto deste ano na Série C, o treinador do Figueira chamou o atacante do clube paulista de "gordo" e disse "que ele precisava emagrecer" após reclamar de que o Botafogo-SP estava fazendo muitas faltas e ser criticado por Walter. Na oportunidade, o atleta chegou a tentar partir pra cima do técnico em atitude que também foi tema de julgamento onde ele foi somente advertido pelo tribunal.

Depois da partida, Jorginho chegou a pedir desculpas em entrevista coletiva tanto para o atleta como para seus familiares e chegou a afirmar que "Nem tem mais idade para isso."

Um dos quatro integrantes do julgamento (o presidente da Terceira Comissão Disciplinar do STJD, Luís Felipe Procópio) chegou a analisar como necessária a aplicação de uma partida de punição. Todavia, para os outros três (os auditores Éric Chiarello, Rodrigo Raposo e Bruno Tavares) entenderam que o ato não era passível de pena.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos