Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.958,68
    -1.616,79 (-1,46%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.763,50
    +89,20 (+0,21%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,11
    -0,42 (-0,92%)
     
  • OURO

    1.779,80
    -8,30 (-0,46%)
     
  • BTC-USD

    19.388,38
    -20,64 (-0,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    380,91
    +16,31 (+4,47%)
     
  • S&P500

    3.621,67
    -16,68 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    29.638,64
    -271,73 (-0,91%)
     
  • FTSE

    6.266,19
    -101,39 (-1,59%)
     
  • HANG SENG

    26.341,49
    -553,19 (-2,06%)
     
  • NIKKEI

    26.433,62
    -211,09 (-0,79%)
     
  • NASDAQ

    12.258,75
    +1,25 (+0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3934
    +0,0188 (+0,29%)
     

STJ marca julgamento sobre triplex no dia do aniversário de 75 anos de Lula

Luísa Martins
·2 minuto de leitura

Os advogados de Lula pediram ao STF que determine a retirada do processo da pauta A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) pautou para esta terça-feira, dia do aniversário de 75 anos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, um recurso de sua defesa contra a sua condenação no caso do triplex do Guarujá (SP). Os advogados de Lula pediram ao Supremo Tribunal Federal (STF) que determine a retirada do processo da pauta. O requerimento ainda está pendente de apreciação pelo ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava-Jato na Corte. O argumento é o de que decisões anteriores do STJ — como a não admissão de recursos considerados legítimos segundo a legislação e o próprio regimento interno do tribunal — prejudicaram o pleno exercício do direito de defesa de Lula. Também nesse sentido, foram apontadas pendências no próprio STF, como a análise do habeas corpus que pede a suspeição do ex-juiz Sergio Moro — e que só deve ser levado à Segunda Turma em 2021 — e das reclamações que solicitam acesso à íntegra de acordos celebrados pela Lava-Jato nos Estados Unidos (EUA). Em abril, Fachin determinou a suspensão de um julgamento virtual do recurso no STJ, atendendo a pedido da defesa de Lula, que não havia sido comunicada previamente da inclusão do processo no calendário. Agora, o exame dos embargos na Quinta Turma está previsto para ocorrer por videoconferência, no modo telepresencial. Lula foi condenado por Moro, que depois veio a se tornar ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Jair Bolsonaro, a 12 anos e um mês de prisão. No STJ, a pena pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro foi diminuída para oito anos e dez meses, mas a defesa ainda recorre. Os advogados argumentam nas Cortes superiores que o eventual reconhecimento de que Moro não atuou de forma imparcial pode levar à anulação de todo o processo — bem como o fato de a cooperação com os EUA supostamente ter ocorrido de forma ilegal, conforme sugerem mensagens vazadas do celular do procurador Deltan Dallagnol, então coordenador da força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba. Lula AP Photo/Andrew Medichini