Mercado abrirá em 47 mins

STF prevê mais gastos com reforma, lagostas e vinhos

Mudança dos estúdios da TV Justiça e da Rádio Justiça, que serão transferidos para um prédio e reformado pela Aeronáutica, tem custo previsto de R$ 17 milhões. (Foto: Mateus Bonomi / AGIF/Sipa USA)

Apesar do cenário de cortes e contingenciamentos na administração pública, como ocorre com o MEC, os gastos do STF (Supremo Tribunal Federal) previstos pela gestão do ministro Dias Toffoli, estimados em R$ 29,5 milhões, mantém refeições com lagosta e rótulos de vinhos agraciados com premiações internacionais.

As informações são do UOL.

A compra de R$ 481,7 mil para os itens de luxo chegou a ser questionada em ações populares na Justiça, mas a Alta Corte acabou liberada. As despesas também incluem compra de veículos blindados, a troca de aparelho de telefone fixo, a reforma no gabinete da presidência do tribunal.

Conforme revelou o jornal O Estado de São Paulo, um ministro ouvido apontou que o tribunal não costuma receber autoridades para jantares, o que não justificaria a despesa, e por isso em outras gestões o refeitório do Senac – que é frequentado pelos servidores do Supremo – era usado para as refeições de convidados especiais.

O crescimento das despesas é comprovado pelo levantamento feito pela associação Contas Abertas. Na gestão da ministra Cármen Lúcia, antecessora no comando do STF, a média mensal das despesas não obrigatórias ficou em R$ 13,142 milhões, enquanto na gestão Toffoli, o valor subiu para R$ 15,625 milhões por mês. A comparação representa um aumento de R$ 2,48 milhões aos cofres públicos.

Mais da metade do gastos previstos devem ser usados para a mudança dos estúdios da TV Justiça e da Rádio Justiça, que serão transferidos para um prédio e reformado pela Aeronáutica. O custo previsto é de R$ 17 milhões, mas um relatório interno da diretoria da TV Justiça aponta riscos para a transferência: “O parque técnico da TV Justiça está obsoleto e corre um grande risco de não funcionar, caso seja desligado e religado em um novo local, com o perigo real de perda de arquivos de imagens e outros dados”, diz o documento.

Entram na lista de despesas a restauração das esquadrias das fachadas por R$ 6,5 milhões, para reforçar a segurança das janelas, e a compra, de R$ 2,8 milhões, de 14 novos veículos blindados do modelo Ford Fusion SEL, para serem usados em Brasília.

LEIA MAIS

Patentes sugerem que Intel está trabalhando em um smartphone 360º

Barragem 'bomba-relógio' faz população de Barão de Cocais arrumar malas

O montante desembolsado pela presidência para ‘repaginar’ o próprio gabinete soma R$ 443.908,43. O custo inclui um chuveiro e a substituição de carpete instalado em 2001 e que provocou alergia no presidente do Supremo.

Segundo a Secretaria de Comunicação Social do Supremo Tribunal Federal (STF), a gestão do presidente Dias Toffoli tem adotado um conjunto de medidas para reduzir gastos e melhorar a prestação de serviços, por meio de renegociações e mudanças de contratos, com economia de até 36% sobre valores iniciais.