Mercado fechado

STF autoriza quebra de sigilo bancário de 10 deputados federais e um senador

Isadora Peron

Todos fazem parte da base de apoio do presidente Jair Bolsonaro, entre eles Daniel Silveira (PSL-RJ), Carla Zambelli (PSL-SP) e Bia Kicis (PSL-DF) A pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a quebra de sigilo bancário de dez deputados federais e um senador no âmbito do inquérito que apura a organização e o patrocínio de atos antidemocráticos. Todos eles fazem parte da base de apoio do presidente Jair Bolsonaro.

No âmbito da mesma investigação, foi deflagrada nesta terça-feira (15) uma operação com pedidos de busca e apreensão contra 21 pessoas, entre elas o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), que também teve o sigilo quebrado.

No mesmo inquérito, a PF também prendeu, na segunda-feira (15), a ativista de extrema direita Sara Giromini, conhecida como Sara Winter, uma das líderes do grupo chamado "300 do Brasil", que estava acampado na Esplanada dos Ministérios. Houve mandados de prisão temporária contra outros cinco integrantes do movimento.

Além de Daniel Silveira, também foram alvos da quebra de sigilo bancário os deputados Cabo Junio Amaral (PSL-MG), Carla Zambelli (PSL-SP), Bia Kicis (PSL-DF), Otoni de Paula (PSC-RJ), Carolina de Toni (PSL-SC), Alê Siiva (PSL-MG), General Girão (PSL-RN), Guiga Peixoto (PSL-SP) e Aline Sleutjes (PSL-PR). O senador atingido foi Arolde de Oliveira (PSD-RJ).