Mercado fechará em 3 h 28 min
  • BOVESPA

    107.931,90
    +1.459,98 (+1,37%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.224,52
    +501,09 (+1,07%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,43
    +1,42 (+1,60%)
     
  • OURO

    1.804,60
    +13,40 (+0,75%)
     
  • BTC-USD

    23.892,86
    +796,70 (+3,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    555,90
    +13,02 (+2,40%)
     
  • S&P500

    4.140,09
    -5,10 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    32.814,53
    +11,06 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.482,37
    +42,63 (+0,57%)
     
  • HANG SENG

    20.045,77
    -156,17 (-0,77%)
     
  • NIKKEI

    28.249,24
    +73,37 (+0,26%)
     
  • NASDAQ

    13.187,75
    -41,00 (-0,31%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2296
    -0,0370 (-0,70%)
     

STF anula condenação de Cabral e abre brecha para derrubar outros processos

·2 min de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A decisão da Segunda Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) desta terça-feira (7) de considerar o juiz Marcelo Bretas incompetente para atuar nas ações da Operação Fatura Exposta derruba pela primeira vez uma condenação contra Sérgio Cabral e abriu brechas para a queda de outros casos envolvendo o ex-governador do Rio de Janeiro.

A Fatura Exposta investigou desvios na Secretaria de Saúde de Rio de Janeiro. Os ministros entenderam que não havia conexão entre os desvios no setor com a corrupção apurada na Secretaria de Obras, alvo da Operação Calicute, primeira ação contra Cabral.

O STF decidiu considerar Bretas incompetente para julgar a Fatura Exposta e determinou a redistribuição do caso. As decisões estão nulas até que o novo juiz analise a convalidação ou não dos atos da 7ª Vara Federal Criminal.

Pelos termos publicados no Supremo, podem se tornar inválidos até mesmo as cautelares de bloqueio de bens dos investigados e o recebimento da denúncia.

Advogados e investigadores viram na decisão uma brecha para derrubar outros casos, já que apenas algumas das 33 ações penais contra Cabral na 7ª Vara, de Bretas, têm relação direta com a Secretaria de Obras.

"A concessão da ordem transcende, entretanto, as operações de saúde, uma vez que, nos fundamentos, os ministros rechaçam as argumentações, até então trazidas pelo MPF e pelo juiz Marcelo Bretas para fixação da sua competência em operações que não envolvam empreiteiras, como o caso da Eletronuclear, Operação Saqueador e Operação Calicute", afirmou a advogada Patrícia Proetti, que defende Cabral.

A condenação anulada na Fatura Exposta impunha uma pena de 14 anos e 7 meses ao ex-governador, que agora soma 399 anos e 11 meses de prisão em 21 condenações ainda válidas.

A decisão ainda não tem efeito sobre a manutenção da prisão de Cabral. Os cinco mandados de prisão preventiva contra ele permanecem válidos e exigem alterações mais profundas no entendimento de seu caso para cair.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos