Mercado fechará em 5 h 19 min
  • BOVESPA

    109.982,35
    +580,95 (+0,53%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.799,46
    -434,91 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    75,93
    -1,00 (-1,30%)
     
  • OURO

    1.792,70
    +11,40 (+0,64%)
     
  • BTC-USD

    17.021,19
    -254,72 (-1,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    401,57
    -9,64 (-2,34%)
     
  • S&P500

    3.998,84
    -72,86 (-1,79%)
     
  • DOW JONES

    33.947,10
    -482,78 (-1,40%)
     
  • FTSE

    7.541,39
    -26,15 (-0,35%)
     
  • HANG SENG

    19.441,18
    -77,11 (-0,40%)
     
  • NIKKEI

    27.885,87
    +65,47 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    11.833,00
    +27,25 (+0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5251
    -0,0083 (-0,15%)
     

Stellantis avalia produção de elétricos compactos na Índia, diz presidente

NOVA DÉLHI (Reuters) - A Stellantis está explorando oportunidades de fabricar carros elétricos compactos na Índia para exportação, mas ainda não tomou uma decisão se seguirá adiante com o projeto, afirmou o presidente-executivo do grupo automotivo, Carlos Tavares, nesta quarta-feira.

"Até agora, a Europa não consegue produzir veículos elétricos acessíveis, então isso é uma grande oportunidade para a Índia se puder vender elétricos compactos a preços acessíveis", disse Tavares em evento do setor realizado em Chennai, sul da Índia.

"Estamos trabalhando nisso, mas ainda não decidimos. É o que estamos tentando fazer", afirmou o executivo.

No Brasil, mercado tradicionalmente conhecido por veículos compactos e que está vivendo uma aceleração nas vendas de elétricos e híbridos, a indústria tem buscado convencer a Índia, importante produtora de açúcar, a adotar a tecnologia de motores híbridos flex, que funcionam com eletricidade e também com gasolina e etanol.

A ideia é aumentar o mercado da tecnologia para evitar que o Brasil se transforme em um nicho em um momento em que os principais países do mundo adotam a eletrificação como forma de reduzirem emissões de poluentes.

(Por Aditi Shah)