Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.799,27
    +769,48 (+1,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Startups brasileiras obtiveram US$ 893 milhões em outubro, diz relatório

·2 min de leitura

As startups brasileiras obtiveram US$ 893 milhões em aportes de investimentos em outubro, de acordo um relatório sobre a América Latina da startup de inteligência de dados Sling Hub. Segundo informou o site Pequenas Empresas Grandes Negócios, o valor representa 75% do montante captado pelo ecossistema da região no período.

No recorte Brasil, 72 rodadas foram levantadas em outubro. Alguns dos maiores aportes foram de US$ 200 milhões (R$ 1,1 bilhão) na CargoX (logística); US$ 108 milhões (R$ 598 milhões) na Pismo (tecnologia para bancos); US$ 81,6 milhões (R$ 451,9 milhões) na Bionexo (gestão de saúde); e US$ 75 milhões (R$ 415 milhões) na Pipefy (gestão de projetos).O Softbank foi o fundo presente em mais investimentos (oito), seguido da Tiger Global e da Kaszek (seis cada).

O estudo também contabilizou 35 fusões e aquisições no mês passado, o que marcou um recorde mensal na América Latina. Dessas, 31 foram no Brasil. Os destaques, de acordo com a Sling Hub, foram a compra da empresa de big data Neoway pela B3 (a Bolsa de Valores brasileira); o banco digital Digio pelo Bradesco; a empresa de marketing de influência Squid IT pela Locaweb; e a companhia de e-commerce Mandaê pela Nuvemshop.

Imagem: Marvin Meyer/Unsplash
Imagem: Marvin Meyer/Unsplash

A rodada de investimentos mais comum dentre os latinos foi a série A, usada para acelerar empresas com um produto mínimo viável (MVP), ou seja, um produto bom o bastante para demonstrar seu potencial na prática. Foram 17 séries A, de um total de 92 aportes na região. O estudo acredita que este dado reforça o crescimento das startups para o formato de scale-ups (startups de rápido crescimento). Somente 2% das empresas na América Latina alcançam esse patamar.

A brasileira Magazine Luiza foi a empresa que mais comprou startups na América Latina, de acordo com outro relatório recente da Sling Hub. Foram cinco aquisições só no último ano e meio. A argentina Mercado Livre também está na lista, ao lado de outras sete companhias brasileiras como B2W (Americanas), Locaweb e Méliuz.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos