Mercado fechará em 4 horas 1 minuto
  • BOVESPA

    113.323,23
    +40,55 (+0,04%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.482,61
    +376,90 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    75,29
    +1,31 (+1,77%)
     
  • OURO

    1.752,20
    +0,50 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    43.324,57
    -91,88 (-0,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.077,07
    -24,45 (-2,22%)
     
  • S&P500

    4.443,79
    -11,69 (-0,26%)
     
  • DOW JONES

    34.932,89
    +134,89 (+0,39%)
     
  • FTSE

    7.063,40
    +11,92 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    24.208,78
    +16,62 (+0,07%)
     
  • NIKKEI

    30.240,06
    -8,75 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    15.139,75
    -179,00 (-1,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2662
    +0,0106 (+0,17%)
     

Startup oferece conta digital e crédito para adolescentes

·2 minuto de leitura

Adolescentes são um público arriscado: embora muitos deles ainda não tenham renda própria, os que já têm ou desfrutam de uma boa mesada são um ávido nicho consumidor. A fintech Z1, criada neste ano, mira nesse pessoal com sua conta digital e cartão de crédito pré-pago.

Enquanto o Brasil não realiza seu atrasado Censo 2020, as projeções do Instituto Brasileiro de Georgrafia e Estatística (IBGE) apontam que em 2021 o país tem cerca de 28,9 milhões de pessoas da Geração Z, entre 9 e 26 anos de idade. A aposta da startup nesse público foi um cartão da bandeira MasterCard que chamam de "crébito", um trocadilho entre crédito e débito. Isto é, ele pode ser usado na função crédito, mas com um valor limitado ao saldo da conta digital.

"Uma vantagem da Z1 é permitir aos usuários que enviem e recebam dinheiro via Pix, facilitando a vida do adolescente que quer empreender, pois queremos servir de ponte para essa geração Z realizar pequenos sonhos", diz a cofundadora Sophie Secaf. Para usar a conta, o jovem paga R$ 10 por mês à fintech.

App e cartão da Z1 (Imagem: Divulgação/Z1)
App e cartão da Z1 (Imagem: Divulgação/Z1)

Para abrir uma conta, o adolescente deve baixar o aplicativo (iOS | Android), fazer um cadastro e indicar um responsável, que também deverá se registrar no app. O acesso é individual, para dar privacidade ao jovem. Após a análise e liberação da empresa, a conta digital é aberta e o cartão é enviado para o endereço físico da inscrição. A Z1 diz que toda sua comunicação é voltada para o usuário, e não para os pais e tutores.

A empresa foi fundada por João Pedro Thompson (ex-Vereda Educação), Thiago Achatz (ex-Grow Pay), Sophie Secaf (ex-BOX 1824) e Mateus Craveiro (ex-Pagar.me), e recebeu em maio deste ano um aporte de R$ 14 milhões, em rodada inicial de levantamento de verba (seed) liderada pelo fundo de capital de risco Homebrew. Alguns de seus investidores-anjo são Renato Freitas e Ariel Lambrecht, os fundadores da 99.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos