Mercado fechado

Startup demitiu 47 antes de prometer não cortar emprego na crise do coronavírus

JOANA CUNHA
Startup demitiu 47 antes de prometer não cortar emprego na crise do coronavírus

A carta aberta pela manutenção de empregos nas empresas de tecnologia publicada nesta terça-feira (7) por Florian Hagenbuch, fundador da startup imobiliária Loft, causou estranhamento entre funcionários porque a Loft demitiu 47 pessoas no dia 27 de março.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Procurada, a empresa afirma que os cortes abrangem profissionais das áreas de engenharia e arquitetura da Loft e da Decorati e foram feitos como consequência da fusão entre as duas empresas, realizada em novembro de 2019.

Leia também

Embora tenham acontecido agora, as demissões foram feitas por causa da redundância de funções, segundo a empresa.

"Este é um movimento que teria de ser feito mesmo se não vivêssemos o atual cenário de pandemia", diz a Loft em nota. A empresa diz também que, nos últimos dez dias, contratou outras 127 pessoas para diferentes áreas, como tecnologia, marketing e outras.

A carta aberta de Hagenbuch nesta terça diz que, "a partir deste momento", a empresa se compromete a manter o quadro de funcionários pelos próximos dois meses.

As contratações também ficam congeladas a partir de abril, segundo a Loft, até que se tenha maior compreensão dos efeitos da pandemia de coronavírus.

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.