Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,31 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -908,97 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,83
    -0,72 (-0,84%)
     
  • OURO

    1.836,10
    -6,50 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    35.488,71
    -3.323,08 (-8,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,02 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -430,00 (-2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

Startup levará objetos preciosos para Estação Espacial Internacional

·1 min de leitura
Foto: Getty Images.
Foto: Getty Images.
  • Contrato da Uplift Aerospace com a NASA permitirá o envio de objetos preciosos para Estação Espacial Internacional;

  • Joias sofisticadas, artefatos e moedas raras estão entre os itens que serão enviados à órbita;

  • Segundo a startup, a aposta do empreendimento é “estabelecer o comércio do espaço”.

Recentemente, a startup Uplift Aerospace assinou contrato com a NASA, e como parte do acordo, a empresa poderá enviar obras de arte e pedras preciosas para a Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês).

Moedas raras, joias sofisticadas e artefatos estão entre os itens que serão levados para a plataforma. De acordo com a startup, a aposta do empreendimento é “estabelecer o comércio do espaço”.

Leia também:

Os objetos enviados serão armazenados em um cofre do tamanho de um armário e grande parte será colocada à venda.

Enquanto isso, outros itens voltarão para Terra e serão destinados aos museus. Contudo, a logística que enviará os materiais à Estação Espacial ainda não foi desenvolvida pela Uplift Aerospace.

Josh Hanes, CEO e presidente da empresa, afirma que essa parte da empreitada ainda não foi planejada. Contudo, as artes serão levadas para a órbita no segundo semestre deste ano.

O diretor executivo diz também que a ideia é que se possa mostrar os objetos enquanto estão na estação espacial.

Outro aspecto que chama a atenção é a conexão do projeto com o blockchain. No cofre, haverá um tipo de token não fungível (NFT, na sigla em inglês), que, nesse caso, funcionará como cartões de membros da comunidade “Space+”, da própria startup, para que se possa acessar “experiências espaciais reais”.

As informações são do Futurism.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos