Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.632,92
    -168,29 (-0,14%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.134,93
    -60,50 (-0,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    69,10
    +0,01 (+0,01%)
     
  • OURO

    1.806,50
    -8,00 (-0,44%)
     
  • BTC-USD

    40.963,11
    +1.078,43 (+2,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.005,54
    +29,64 (+3,04%)
     
  • S&P500

    4.429,10
    +26,44 (+0,60%)
     
  • DOW JONES

    35.064,25
    +271,58 (+0,78%)
     
  • FTSE

    7.120,43
    -3,43 (-0,05%)
     
  • HANG SENG

    26.204,69
    -221,86 (-0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.171,75
    +98,25 (+0,65%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2082
    +0,0899 (+1,47%)
     

Startup lança casas de aluguel para pequeno investidor nos EUA

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Jeff Bezos e Marc Benioff estão entre os que apostam em uma startup que permite que pessoas normais invistam pequenas quantias em casas para aluguel. O mercado imobiliário dos EUA foi impulsionado pela pandemia e continua atraindo uma enxurrada de capital.

A Arrived Homes vende participações em propriedades para aluguel por cotas de apenas US$ 100. A companhia levantou US$ 37 milhões com a emissão de ações e dívidas junto a um grupo que inclui a Bezos Expeditions (que reúne os investimentos pessoais do fundador da Amazon.com) e a Time Ventures (do fundador da Salesforce). A rodada foi liderada pela Core Innovation Capital.

Fundada em 2019, a startup adquiriu 15 residências e assinou contrato para comprar mais 18 propriedades. O plano é usar os recursos para comprar mais imóveis, no esforço de democratizar um segmento do ramo de investimento imobiliário dominado por indivíduos ricos e, mais recentemente, pelas firmas de Wall Street.

“Existem milhões de pessoas que querem ter uma propriedade e não têm meios de fazer isso”, disse o CEO Ryan Frazier. “A razão pela qual não investem é que existem enormes barreiras.”

Frazier, que fundou a empresa com Kenny Cason e Alejandro Chouza, vê três obstáculos principais às pretensões desses investidores: o custo para comprar um imóvel para aluguel, o tempo necessário para encontrar a propriedade certa e a confiança para tomar a decisão de compra.

A solução foi adotar uma estrutura regulatória que permite que a empresa venda cotas em propriedades individuais para residentes dos EUA, independentemente de seu patrimônio ou renda.

A empresa contrata gestores terceirizados para ter condições de espalhar suas propriedades por diversos mercados, de forma que os investidores possam comprar cotas de residências em diferentes regiões e níveis esperados de aluguel.

O investimento médio até agora foi de US$ 1.800 em duas ou três casas. A empresa prevê demanda suficiente dos investidores para cobrir a aquisição de até 100 casas por mês até o final do ano.

Com o mercado imobiliário tão aquecido, tanto os compradores regulares quanto os investidores enfrentam dificuldades para encontrar boas propriedades. Mas com menos residências disponíveis, os proprietários conseguem elevar os aluguéis. Um índice que acompanha o aluguel de imóveis para uma só família, compilado pela John Burns Real Estate Consulting, subiu 5,9% nos 12 meses até abril.

Historicamente, esse segmento foi dominado por pessoas que são donas de algumas propriedades em sua cidade natal. Isso mudou após a crise de execução de hipotecas inadimplentes nos EUA, quando as firmas de Wall Street compraram residências em leilão e desenvolveram sistemas para gerenciar propriedades em diversas regiões.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos