Mercado abrirá em 4 hs
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    37,19
    -0,20 (-0,53%)
     
  • OURO

    1.881,60
    +2,40 (+0,13%)
     
  • BTC-USD

    13.137,31
    -104,65 (-0,79%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,09
    -12,60 (-4,62%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.582,80
    -146,19 (-2,55%)
     
  • HANG SENG

    24.572,20
    -136,60 (-0,55%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.226,50
    +93,75 (+0,84%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7306
    -0,0038 (-0,06%)
     

Startup Iceye investe em satélites que fotografam a Terra com muito mais nitidez

Danielle Cassita
·2 minutos de leitura

A Iceye, startup finlandesa, já conta com três satélites em órbita que fazem imagens da superfície terrestre em alta qualidade. Assim, nesta terça-feira (22), a empresa anunciou um fundo de U$ 87 milhões, cuja soma é liderada pela empresa True Ventures e tem investimento adicional da OTB Ventures. A Iceye pretende lançar mais quatro satélites com a tecnologia SAR ainda neste ano e já pensa em lançar outros oito no ano que vem para, assim, aumentar a constelação de satélites já existente.

As imagens dos satélites Iceye são valiosas porque são feitas com radares de abertura sintética (SAR), que não dependem das condições atmosféricas e muito menos da iluminação solar e, por isso são nítidas independentemente do momento em que foram produzidas. “A Iceye está permitindo que as pessoas resolvam problemas imensamente difíceis, que afetam a vida de milhões de pessoas em todo o mundo”, diz Rafal Modrzewski, CEO e cofundador da empresa. Assim, esta rodada de investimentos irá permitir que a constelação tenha pelo menos 12 satélites em 2021, com uma taxa de revisita de quatro vezes ao dia em todo o mundo.

Imagem de radar da cidade Rovaniemi, na Finlândia (Imagem: Reprodução/Icey/Forbes)
Imagem de radar da cidade Rovaniemi, na Finlândia (Imagem: Reprodução/Icey/Forbes)

Adicionar estes novos satélites vai “abrir uma nova categoria”, explica Mark Matossian, CEO da subsidiária da Iceye nos EUA. Por exemplo, durante uma emergência, pode ser crucial que os clientes consigam imagens da superfície do local em um curto período — e vale lembrar que os clientes da empresa vão desde empresas de combustível até agências governamentais. Além disso, Matossian ressalta que as imagens SAR são importantes por seu papel durante a resposta a desastres: as imagens que os satélites fizeram já foram usadas para monitorar eventos como rompimento de barragens no Michigan e até os incêndios que estão ocorrendo na Califórnia e Oregon.

A Iceye foi fundada em 2012 e lançou seus primeiros satélites em janeiro de 2018. Entretanto, ela não é a única startup trabalhando na construção de novos satélites SAR, diz Chris Quilty, analista industrial de satélites. “A Iceye foi um pouco mais rápida, e eles estão estabelecendo uma presença nos Estados Unidos e relacionamento com o governo”.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: