Mercado abrirá em 2 h 2 min
  • BOVESPA

    115.062,54
    -1.118,01 (-0,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.192,33
    +377,16 (+0,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,50
    -0,11 (-0,15%)
     
  • OURO

    1.779,90
    -14,90 (-0,83%)
     
  • BTC-USD

    47.955,55
    +302,51 (+0,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.234,07
    +36,86 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.480,70
    +37,65 (+0,85%)
     
  • DOW JONES

    34.814,39
    +236,82 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.047,53
    +31,04 (+0,44%)
     
  • HANG SENG

    24.667,85
    -365,36 (-1,46%)
     
  • NIKKEI

    30.323,34
    -188,37 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    15.475,00
    -29,00 (-0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1446
    -0,0514 (-0,83%)
     

Startup de games em nuvem uruguaia mira financiamento em 2022

·3 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A startup de tecnologia uruguaia Abya Corp planeja levantar até US$ 20 milhões com investidores de capital de risco no início do próximo ano para expandir sua plataforma de videogames baseada em nuvem na América Latina, de acordo com o presidente do conselho e cofundador Waldemar Fernández.

A Abya planeja lançar o serviço de assinatura em cinco países da América do Sul no quarto trimestre - semelhante ao serviço da Netflix para jogos -, o que deve aumentar sua valoração atual, de US$ 166 milhões, antes de uma rodada de financiamento em janeiro ou fevereiro, disse Fernández, segundo o qual a American Capital Partners foi um dos primeiros investidores.

“Idealmente, gostaria de fazer isso dois ou três meses após o lançamento, porque terá um impacto muito significativo no ‘valuation’”, disse Fernández, empresário uruguaio que atua nos setores bancário e de tecnologia e que mora nos Estados Unidos há 50 anos.

O excesso de liquidez nos mercados financeiros após anos de impressão de dinheiro por bancos centrais favoreceu investimentos em empresas de rápido crescimento em mercados emergentes. Esse fluxo de capital ajudou a criar o primeiro unicórnio do setor tecnológico do Uruguai, a plataforma de pagamentos dLocal, que agora tem valor de mercado de mais de US$ 18 bilhões menos de quatro meses depois de abrir o capital nos Estados Unidos.

Embora a Abya, que tem sede nos EUA, não tenha pressa em recorrer ao capital externo após emitir US$ 2 milhões em dívida conversível a um investidor não divulgado em março, Fernández conversa com banqueiros de investimento sobre uma possível oferta pública inicial nos EUA já no segundo semestre de 2022.

O software em nuvem da Abya permite que os assinantes joguem seus videogames favoritos de praticamente qualquer dispositivo conectado à web sem ter que pagar centenas de dólares por consoles caros. A Abya fez uma aliança com a Nvidia este ano para oferecer o serviço GeForce Now da fabricante de chips com centenas de jogos com classificação AAA - o termo da indústria para títulos de primeira linha com os melhores gráficos - para jogadores hardcore. A Abya tem seu próprio catálogo de títulos de terceiros para jogadores casuais e de nível médio.

O CEO Franco Miceli, de 36 anos, cofundou a Abya em 2018 com Fernández e Nicolas Jodal, sócio-fundador e CEO da empresa de software uruguaia Genexus.

A Abya assinou um acordo de hospedagem em julho com a estatal de telecomunicações do Uruguai, a Antel, para atender às principais cidades da Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai. Vários milhares das mais de 230 mil pessoas que já assinaram o serviço estão usando a versão beta da plataforma da Abya antes da implantação completa, disse Miceli.

A Abya está negociando serviços de hospedagem e conectividade com várias empresas para oferecer jogos em nuvem na América Central e outros países da América do Sul durante 2022, embora o ritmo de expansão dependa da disponibilidade de servidores em meio à escassez global de chips de computador, disse.

“Nossa principal preocupação agora não é tanto a rentabilidade, mas sim acumular mercados e usuários”, disse Fernández. “Acho que a rentabilidade virá em um ano e meio ou dois anos, porque vamos continuar investindo.”

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos