Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.672,76
    -3.755,42 (-3,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.402,73
    -283,30 (-0,54%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,93
    +0,49 (+0,59%)
     
  • OURO

    1.769,40
    +3,70 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    64.233,47
    +3.005,30 (+4,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.481,10
    +17,74 (+1,21%)
     
  • S&P500

    4.519,63
    +33,17 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    35.457,31
    +198,70 (+0,56%)
     
  • FTSE

    7.217,53
    +13,70 (+0,19%)
     
  • HANG SENG

    25.787,21
    +377,46 (+1,49%)
     
  • NIKKEI

    29.215,52
    +190,06 (+0,65%)
     
  • NASDAQ

    15.418,25
    +127,75 (+0,84%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4945
    +0,1030 (+1,61%)
     

Startup escolhe SpaceX para lançar nave que irá fabricar materiais no espaço

·2 minuto de leitura

Nesta segunda-feira (11), a startup Varda Space Industries anunciou um acordo firmado com a SpaceX para lançar uma pequena nave que, quando estiver em órbita, irá produzir materiais como se fosse uma fábrica. O lançamento está programado para acontecer em 2023 e será feito com um foguete Falcon 9, através de um programa de lançamentos compartilhados, que proporciona redução de custos aos clientes que querem levar suas cargas úteis à órbita.

Em agosto, a empresa fechou contratos com a Rocket Lab para três lançamentos de satélites Photon, que vão servir como plataformas para as "fábricas espaciais" da Varda Space. Assim, a nave irá demonstrar suas capacidades de produção de materiais variados na microgravidade durante até três meses, período em que estará em órbita enquanto executa testes de tecnologias de produção. Ao fim da missão, uma cápsula de reentrada irá trazer à Terra o material produzido.

Até o momento, a empresa não revelou informações sobre o que será produzido. De acordo com os executivos da Varda Space Industries, a SpaceX foi a escolhida para o lançamento porque oferece a solução de menor custo e maior confiabilidade para levar a nave à órbita. “O custo do lançamento é uma das principais forças do nosso negócio”, explicou Delian Asparouhov, co-fundador e presidente da empresa. “Queremos ficar com a solução de menor custo disponível”.

Como eles têm familiaridade com a atuação da empresa, não levou muito tempo para a decisão. Will Bruey, co-fundador e diretor executivo da Varda Space, trabalhou durante quase seis anos na SpaceX. A startup já planeja missões para os próximos lançamentos, mas ainda não decidiu quem será a provedora responsável. Segundo os executivos, a empresa escolhida não será, necessariamente, a SpaceX.

Ao contrário do que acontece com satélites de comunicação e imagem, a Varda Space não vai precisar de uma órbita específica para sua missão, já que a nave terá que se manter na órbita baixa da Terra. Esta é a primeira de uma série de missões criadas para demonstrar as tecnologias necessárias para a produção de materiais na microgravidade e, para isso, a empresa planeja lançar as outras duas unidades até o final de 2024.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos