Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.289,18
    +1.085,18 (+0,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.037,05
    -67,35 (-0,13%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,16
    -0,19 (-0,22%)
     
  • OURO

    1.819,40
    -10,30 (-0,56%)
     
  • BTC-USD

    36.737,67
    -28,28 (-0,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    835,69
    -20,12 (-2,35%)
     
  • S&P500

    4.349,93
    -6,52 (-0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.168,09
    -129,64 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.469,78
    +98,32 (+1,33%)
     
  • HANG SENG

    24.289,90
    +46,30 (+0,19%)
     
  • NIKKEI

    27.011,33
    -119,97 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    14.221,25
    +62,75 (+0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1054
    -0,0467 (-0,76%)
     

Startup de educação em TI recebe R$ 7 milhões de fundo do Vale do Silício

·2 min de leitura

A Dio recebeu um novo aporte de R$ 7 milhões da Graphene Ventures, fundo de investimentos do Vale do Silício dos EUA que já apostou no Snapchat, Lyft e a brasileira Rocket.Chat, entre outras. É o segundo valor recebido pela startup de Araraquara (SP) no ano passado. Ela mantém uma plataforma online de educação aberta com cursos gratuitos em tecnologia da informação (TI), abertos via parcerias com grandes companhias.

A rodada seed da Dio ainda teve a participação e liderança da Domo Invest, que tem como sócio Rodrigo Borges, fundador do Buscapé. A empresa forma talentos em TI por meio de bootcamps criados a partir das demandas de contratação das empresas clientes — multinacionais como NTT Data, Avanade, GFT e Cognizant estão entre elas, além de marcas conhecidas no Brasil como Santander e Banco Inter.

Em 2021 cresceu seu faturamento em 450%, distribuiu gratuitamente mais de um milhão de bolsas de estudo e ultrapassou a marca de 650 mil pessoas estudando pela plataforma. Todos os meses, são mais de 30 mil futuros profissionais cadastrados na plataforma.

Sua metodologia é própria e é fruto de um estudo da Dio sobre melhores práticas e casos de sucesso na formação de talentos em ecossistemas tecnológicos de alto nível na China, EUA, Europa e Brasil. Com cursos, mentorias, projetos práticos e desafios de codificação, a plataforma aposta em um modelo de ensino mais gamificado, isto é, com desafios e recompensas. As pessoas não admitidas também recebem recomendações de desenvolvimento da empresa.

Dio criou metodologia da plataforma tendo como modelos melhores práticas de TI no exterior (Imagem: Envato/Rawpixel)
Dio criou metodologia da plataforma tendo como modelos melhores práticas de TI no exterior (Imagem: Envato/Rawpixel)

Em novembro, lançou seus primeiros bootcamps internacionais em inglês para grandes empresas como B11, Volkswagen Digital Solutions e Hitachi. Foram 1.000 pessoas aprendendo com profissionais do mercado de tecnologia global, o que aumenta a chance deles trabalharem no exterior.

O novo aporte deve ampliar as iniciativas de marketing e vendas da Dio em escala global, expandir seus programas gratuitos de formação com universidades, governos e escolas técnicas do Brasil, México, Colômbia e Argentina e somar novos idiomas à plataforma além do português, como espanhol e inglês. O objetivo é alcançar dois milhões de talentos na América Latina em 2022.

“Além de criar um fluxo contínuo de acesso a talentos de estágio até especialistas, na Dio as empresas desenvolvem a sua marca empregadora e democratizam o conhecimento de forma exponencial, independente do país em que a empresa e o talento estejam“, disse Iglá Generoso, cofundador e CEO da Dio, em comunicado à imprensa.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos