Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.101,99
    +1.088,52 (+1,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.508,35
    -314,88 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,29
    -0,61 (-0,70%)
     
  • OURO

    1.839,40
    -3,20 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    40.699,83
    -1.037,07 (-2,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    992,43
    -2,83 (-0,28%)
     
  • S&P500

    4.482,73
    -50,03 (-1,10%)
     
  • DOW JONES

    34.715,39
    -313,26 (-0,89%)
     
  • FTSE

    7.585,01
    -4,65 (-0,06%)
     
  • HANG SENG

    24.952,35
    +824,50 (+3,42%)
     
  • NIKKEI

    27.772,93
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    14.733,50
    -107,50 (-0,72%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1301
    -0,0373 (-0,60%)
     

Startup de e-commerce movimentou R$ 5,8 milhões em compras na Black Friday

·1 min de leitura

A Helpvend aproveitou bem a última Black Friday. De acordo com reportagem da revista Exame, a startup brasileira que digitaliza marcas de moda e de outros segmentos intermediou em novembro 90 mil pedidos — uma média de 125 por hora — e R$ 5,8 milhões em compras. Em um mês normal, movimenta R$ 4 milhões.

Fundada em janeiro de 2020 em São Paulo, a empresa já atende a mais de 70 marcas e mais de 500 mil consumidores. Seu objetivo é ajudar lojistas a ganharem espaço e a faturar nos maiores marketplaces do país, como Amazon, Magalu, Dafiti, Shopee e Netshoes. A Helpvend faz toda a gestão do e-commerce, do cadastro dos itens ao atendimento ao cliente, com exceção das notas fiscais e o envio dos produtos.

Como diversos serviços da cadeia de comércio eletrônico, a empresa não cobra mensalidades ou taxas; apenas recolhe 10% sobre o valor de cada peça vendida. Esse percentual diminui à medida que aumenta o volume de compras.

(Imagem: PhotoMIX Company/Pexels)
(Imagem: PhotoMIX Company/Pexels)

Renan Andrade e Nathália Gimenez tinham doze anos de experiência em uma confecção própria e resolveram criar a Helpvend após digitalizarem a loja Compre Jeans, de Capivari (SP), antes da pandemia. “Foi nosso primeiro cliente, que nos mostrou que há um mercado gigante para explorarmos”, lembrou Andrade para a Exame.

A startup criou sua própria plataforma para acompanhar a venda de seus clientes em todos os canais em tempo real. Estão nos planos o desenvolvimento de novas tecnologias para impulsionar os negócios das marcas de seu portfólio de clientes. Para este ano, a meta é chegar a R_jobs(data.conteudo)nbsp;10 milhões de movimentados por mês e triplicar a quantia investida na captação de novos clientes.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos