Mercado abrirá em 7 h 33 min
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.094,22 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,95 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,53
    -0,54 (-0,75%)
     
  • OURO

    1.807,30
    +5,50 (+0,31%)
     
  • BTC-USD

    38.393,54
    +4.083,24 (+11,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    920,28
    +126,55 (+15,94%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,15 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    26.408,14
    -913,84 (-3,34%)
     
  • NIKKEI

    27.838,92
    +290,92 (+1,06%)
     
  • NASDAQ

    15.080,75
    -17,25 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1233
    +0,0017 (+0,03%)
     

Startup dá até R$ 1.000 a motoristas de app por anúncios no carro

·1 minuto de leitura

A startup de publicidade móvel Mobees recebeu novo investimento de R$ 5,5 milhões com o We Ventures, fundo de impacto social criado pela Microsoft. A empresa, que surgiu no ano passado, já repassou R$ 750 mil a seus 200 motoristas parceiros no Rio de Janeiro.

A ideia é instalar painéis publicitários dupla face no teto dos carros de apps de carona como 99 e Uber. A empresa anunciante pode escolher anunciar em carros que operam na região próxima às suas lojas. Além disso, a Mobees pode colocar os anúncios em sites que os clientes presentes na região visitaram no celular com o GPS ligado.

Os motoristas não pagam pela instalação dos painéis e recebem uma renda média mensal de R$ 500 a R$ 1.000. A Mobees se alia feita diretamente ao condutor, independente do aplicativo de corridas no qual ele trabalha.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Dois fundadores da startup – Fábio Barcellos e José Lyra Júnior – fundaram a AfferoLab, edtech de aprendizado digital, enquanto a terceira sócia, Flávia Coelho, foi diretora de produtos digitais da startup, que foi vendida pelo trio em 2018.

“Queríamos trabalhar com outro setor que tivesse impacto social. Olhamos para a gig economy [economia de “bicos”] e decidimos levar renda extra aos motoristas de aplicativo. No processo de validação, vimos que a monetização poderia vir da publicidade”, contou Flávia ao Infomoney.

Essa não é a primeira inicativa do tipo para motoristas particulares ganharem uma graninha extra além das corridas de app. Em 2019, a Uber fez parceria com a Cargo e o Ipiranga para motoristas venderem lanches em embalagens lacradas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos