Mercado abrirá em 9 h 27 min
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    37,59
    +0,20 (+0,53%)
     
  • OURO

    1.877,10
    -2,10 (-0,11%)
     
  • BTC-USD

    13.230,19
    +12,90 (+0,10%)
     
  • CMC Crypto 200

    261,77
    -10,92 (-4,01%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.582,80
    -146,19 (-2,55%)
     
  • HANG SENG

    24.403,27
    -305,53 (-1,24%)
     
  • NIKKEI

    23.261,56
    -156,95 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    11.227,00
    +94,25 (+0,85%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7391
    +0,0047 (+0,07%)
     

Startup cria projeto para desenvolver construções na Lua usando impressão 3D

Danielle Cassita
·2 minutos de leitura

A startup ICON, que trabalha com tecnologias de construções inovadoras, lançou o projeto Project Olympus para desenvolver sistemas de construção no espaço. O projeto será financiado pelo contrato Small Business Innovation Research (SBIR), que envolve fundos da NASA, para iniciar a pesquisa e o desenvolvimento do sistema. Se tudo correr bem, o projeto poderá ajudar a humanidade a se estabelecer na Lua e em Marte.

Jason Ballard, CEO da ICON e co-fundador da empresa, explica que a empresa sempre pensou em construções fora do nosso planeta: “é um progresso bem natural pensarmos nas formas como a construção aditiva e a impressão 3D poderão criar um futuro melhor para os humanos”, diz em um comunicado da empresa. “Estou confiante que aprender a construir em outros mundos também vai fornecer os avanços necessários para solucionar os desafios de habitação que enfrentamos”. O contrato SBIR foi assinado com a Força Aérea dos Estados Unidos para apoiar a expansão dos recursos da impressão 3D. A proposta, de U$ 14, 55 milhões, terá quatro anos de duração — a NASA contribuiu para 15% deste valor.

O interesse da NASA não surpreende: a agência está trabalhando para estabelecer a presença humana de longo prazo na Lua com o programa Artemis, que visa a exploração lunar tripulada e sustentável. Para isso, será necessário fazer bom uso dos recursos lunares, incluindo gelo — para suporte à vida e produção de combustível — e regolito, para a construção de materiais. Esta mesma dedicação aos recursos fornecidos pelo ambiente será necessária para estabelecer uma exploração sustentável em Marte, que também faz parte dos objetivos do programa Artemis.

Como parte da proposta do SBIR, a ICON irá realizar uma parceria com o Marshall Space Flight Center, também da NASA, para testar tecnologias de processamento e impressão com simulações de solo lunar. Estas pesquisas serão feitas com base na tecnologia que a ICON apresentou em 2018 durante o 3D Printed Habitat Challenge, também da agência espacial estadunidense: “queremos aumentar os níveis de prontidão da tecnologia e testar sistemas para provar que seria possível desenvolver uma impressora 3D em grande escala que poderia construir a infraestrutura em Marte ou na Lua", disse Corky Clinton, diretor associado do Marshall's Science and Technology Office.

A ICON não estará sozinha no projeto: os escritórios de arquitetura SEArch + e BIG-Bjarke Ingels Group, da Dinamarca, também farão parte da empreitada. "Para explicar o poder da arquitetura, 'formgiving' é a palavra em dinamarquês para design, que significa literalmente dar forma àquilo que ainda não recebeu forma”, explica Bjarke Ingels, diretor criativo e fundador da BIG-Bjarke Ingels Group. Para ele, isso fica claro ao criar projetos para outros planetas e imaginar como construir e viver nestes novos mundos. “Com a ICON, estamos explorando novas fronteiras — material, tecnológica e ambientalmente. As respostas para os nossos desafios na Terra podem muito bem ser encontradas na Lua”.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: