Mercado abrirá em 2 h 53 min
  • BOVESPA

    115.882,30
    -581,70 (-0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.262,01
    -791,59 (-1,76%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,45
    -0,40 (-0,76%)
     
  • OURO

    1.839,60
    -9,30 (-0,50%)
     
  • BTC-USD

    31.020,91
    -689,43 (-2,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    625,21
    -2,45 (-0,39%)
     
  • S&P500

    3.750,77
    -98,85 (-2,57%)
     
  • DOW JONES

    30.303,17
    -633,83 (-2,05%)
     
  • FTSE

    6.468,98
    -98,39 (-1,50%)
     
  • HANG SENG

    28.550,77
    -746,76 (-2,55%)
     
  • NIKKEI

    28.197,42
    -437,79 (-1,53%)
     
  • NASDAQ

    12.933,50
    -172,00 (-1,31%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5480
    -0,0057 (-0,09%)
     

Startup Contabilizei recebe aporte liderado pelo Softbank

Aluisio Alves
·2 minuto de leitura
.

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A plataforma online de serviços de contabilidade para pequenas empresas Contabilizei anunciou nesta quinta-feira que recebeu um aporte liderado por fundo do SoftBank, sem revelar o montante.

Criada em 2013 e com sede em Curitiba (PR), a Contabilizei presta serviços de abertura de empresas e ajuda negócios com receita anual de até 3 milhões de reais no país a lidarem com burocracias contábeis e fiscais.

Desde então, já havia recebido mais de 100 milhões de reais de fundos como Igah (ex-e.bricks eventures), Endeavor Catalyst, Kaszek, Banco Mundial (IFC), Quona, e Point72. Estes quatro últimos participaram desta rodada com o Softbank.

A partir de 2016, a plataforma vem dobrando de tamanho a cada ano, chegando no fim de 2020 com 30 mil empresas clientes.

Segundo o fundador e presidente da Contabilizei, Vitor Torres, as medidas de isolamento social e a crise econômica provocados pela pandemia da Covid-19 ampliaram a demanda pelo serviço da startup, que vende planos mensais a partir de 89 reais.

"Uma das motivações para acelerar entrada de clientes foi demanda por redução de custos", disse Torres.

Segundo ele, ao ajudar muitas pequenas empresas a lidar com os efeitos da crise, fosse auxiliando-as a migrarem para o comércio online, obter linhas de crédito emergenciais do governo ou enfrentarem estresse financeiro, a startup percebeu novas oportunidades de prestar serviços a clientes.

"Vamos passar a fazer serviços de contas a pagar e folha de pagamento de salários, por exemplo", disse.

O anúncio mostra como o Softbank segue apostando na expansão de negócios no Brasil baseados em tecnologia, apesar da crise provocada pela pandemia. Na semana passada, o grupo japonês liderou um outro aporte, este de 190 milhões de dólares, no site de venda de artigos para o lar MadeiraMadeira, tornando-se um unicórnio, startup avaliada em ao menos 1 bilhão de dólares.

(Edição Alberto Alerigi Jr.)