Mercado abrirá em 36 mins
  • BOVESPA

    120.700,67
    +405,99 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.514,10
    +184,26 (+0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,37
    -0,09 (-0,14%)
     
  • OURO

    1.764,90
    -1,90 (-0,11%)
     
  • BTC-USD

    60.845,91
    -1.633,92 (-2,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.397,85
    +16,90 (+1,22%)
     
  • S&P500

    4.170,42
    +45,76 (+1,11%)
     
  • DOW JONES

    34.035,99
    +305,10 (+0,90%)
     
  • FTSE

    6.983,50
    +43,92 (+0,63%)
     
  • HANG SENG

    28.793,14
    -107,69 (-0,37%)
     
  • NIKKEI

    29.642,69
    +21,70 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    14.014,25
    +0,25 (+0,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7225
    +0,0014 (+0,02%)
     

Startup de carne vegetal levanta US$ 335 milhões para expansão

Agnieszka de Sousa
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A transição da carne “fake” de restaurantes urbanos e cozinhas veganas para o mercado de consumo de massa está se acelerando à medida que os investidores aumentam suas apostas na indústria de proteínas alternativas.

Livekindly Collective, um grupo de marcas de proteínas à base de plantas, acaba de arrecadar US$ 335 milhões, tornando-se uma das startups de maior financiamento do setor. O grupo quer usar essa potência para impulsionar sua presença global fazendo aquisições e expandindo para os EUA e China.

Dirigido por um ex-executivo da Unilever, Livekindly quer criar uma gigante de alimentos à base de plantas que possa se manter em uma indústria projetada para compor um quarto do mercado de carne até 2040. A última rodada de financiamento foi liderada pelo The Rise Fund, um fundo de impacto global fundado em 2016 pela TPG Capital em parceria com o líder do U2, Bono, e o bilionário de tecnologia Jeff Skoll.

“Nossa missão é fazer com que a alimentação à base de plantas seja o novo normal”, disse o CEO da Livekindly, Kees Kruythoff, em entrevista. “Precisamos de uma transformação total do sistema alimentar, e o tamanho é importante quando se fala em impacto.”

Livekindly adquiriu várias marcas de carne de origem vegetal, incluindo Oumph! na Europa e The Fry Family Food Co., fundada na África do Sul. Hoje a empresa conta com 470 funcionários e entre seus diretores estão o ex-chefe da Unilever Paul Polman e o ex-co-CEO da Whole Foods Walter Robb.

A última arrecadação de fundos, que inclui US$ 135 milhões da rodada anterior, também atraiu o Rabobank Group e a S2G Ventures. Isso leva o financiamento total da Livekindly para US$ 535 milhões, tornando-a uma das três empresas de alimentos à base de plantas com maior financiamento.

Enquanto mais esforços precisam ser feitos para aumentar a capacidade de produção, reduzir os preços e melhorar o sabor dos produtos, os investimentos em proteínas alternativas triplicaram para US$ 3,1 bilhões no ano passado em comparação a 2019, de acordo com dados do The Good Food Institute.

Uma das prioridades de Kruythoff será levar a Oumph!, marca da Livekindly, para novas regiões, incluindo Alemanha, África do Sul e, mais tarde, os EUA. A Livekindly lançou a Fry’s e a LikeMeat nos EUA no início deste mês, e quer levar a última marca para a China. A empresa também planeja fortalecer sua rede de manufatura.

Título em inglês:Fake Meat Startup Raises $335 Million to Fund Global Ambitions

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.