Mercado fechará em 6 h 41 min
  • BOVESPA

    121.922,22
    +121,01 (+0,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.195,43
    -438,48 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,00
    -0,15 (-0,22%)
     
  • OURO

    1.811,60
    -2,90 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    37.750,55
    -1.074,55 (-2,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    936,78
    +10,01 (+1,08%)
     
  • S&P500

    4.402,66
    -20,49 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    34.792,67
    -323,73 (-0,92%)
     
  • FTSE

    7.109,70
    -14,16 (-0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.204,69
    -221,86 (-0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.099,25
    +25,75 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0670
    -0,0513 (-0,84%)
     

Startup brasileira Cobli recebe R$ 175 mi do SoftBank para melhorar entregas

·1 minuto de leitura

A Cobli anunciou nesta quarta-feira (21) o aporte Série B de R$ 175 milhões (US$ 35 milhões). A empresa usa Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) e inteligência artificial para melhorar a gestão de frotas de entregas. A maior parte do aporte veio do SoftBank, telefônica japonesa que vem se destacando como uma poderosa investidora de startups. O restante vei de fundos como Qualcomm Ventures, NXTP Ventures, Fifth Wall e Valor Capital.

A empresa diz que a "bolada" ajudará a criar novos serviços que envolvem dados e IoT. Em sua solução de gestão de frotas, por exemplo, a empresa pretende implantar câmeras com inteligência artificial para automatizar processos. Outra ideia é melhorar a gestão de combustíveis com precificação dinâmica.

App Motorista da Cobli. Imagem: Divulgação/Cobli
App Motorista da Cobli. Imagem: Divulgação/Cobli

Além disso, estão testando um tipo de seguros para frotas que também terá seu preço definido por dados de uso dos veículos. O objetivo é beneficiar as empresas de caminhão que dirigem melhor e correm menos riscos.

A grana também deve ser empregada na expansão da startup, que começou com 15 funcionários em 2017 e hoje tem mais de 200. No ano que vem, pretendem contratar mais mais de 300 pessoas.

"A logística está atrasada e os consumidores estão insatisfeitos. A falta de tecnologia no setor leva a muitos processos manuais que, por sua vez, se revertem em custos mais altos, atrasos, erros e um serviço pior para todos. A Cobli resolve isso", diz Rodrigo Mourad, cofundador e presidente da Cobli, no comunicado à empresa.

Segundo dados da Abol (Associação Brasileira de Operadores Logísticos), o faturamento médio anual de uma empresa do setor é de R$ 366 milhões. Os dados são do ano passado.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos