Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.114,16
    -2.601,84 (-2,33%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.808,56
    -587,38 (-1,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,00
    +0,29 (+0,38%)
     
  • OURO

    1.637,80
    +4,40 (+0,27%)
     
  • BTC-USD

    19.329,25
    +521,46 (+2,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    444,09
    +10,99 (+2,54%)
     
  • S&P500

    3.655,04
    -38,19 (-1,03%)
     
  • DOW JONES

    29.260,81
    -329,60 (-1,11%)
     
  • FTSE

    7.020,95
    +2,35 (+0,03%)
     
  • HANG SENG

    17.855,14
    -78,13 (-0,44%)
     
  • NIKKEI

    26.531,68
    +100,13 (+0,38%)
     
  • NASDAQ

    11.414,50
    +98,25 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1666
    -0,0128 (-0,25%)
     

Starlink expande seu serviço de internet para todo o mundo

Starlink expande seu serviço de internet para todo o mundo 
Starlink expande seu serviço de internet para todo o mundo

Elon Musk anunciou nesta segunda-feira (19) que a internet da Starlink está disponível em todos os continentes do mundo. Isso significa que a SpaceX, empresa espacial do bilionário, agora possui satélites suficientes na órbita da Terra.

A SpaceX lançou no domingo mais de 54 satélites, que ao somarem os que já estavam em órbita, totalizam 3,1 mil ao redor do planeta. Elon Musk já revelou que, até o meio de 2027, a empresa chegará a um total de 42 mil satélites em órbita.

Apesar da conquista, vale lembrar que a Starlink teve um subsídio de quase US$ 900 milhões negado pela Comissão Federal de Comunicações (FCC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, por falhar em “demonstrar que os provedores poderiam entregar o serviço prometido”.

De acordo com a empresa, o subsídio seria utilizado para levar a internet via satélite para áreas remotas ou rurais dos EUA. A SpaceX chegou a afirmar que a decisão era “injusta”.

Leia também!

Starlink, empresa de Elon Musk, poderá fornecer a internet do seu próximo voo de avião

Imagine assistir a sua série favorita na sua próxima viagem de avião! A Starlink, empresa de Elon Musk, está empenhada em tornar isso realidade – e, poderá, inclusive chegar rapidamente em voos comerciais.

Atualmente, a empresa quer mostrar ao mundo que seu sistema de satélites consegue fornecer acesso a serviços de streaming, como, por exemplo, Netflix e YouTube. Por isso, recentemente, a Starlink organizou uma demonstração a bordo de um jato da transportadora JSX, nos Estados Unidos.

Nesse voo de teste JSX, com cerca de uma dúzia de pessoas a bordo, o sistema Starlink registrou consistentemente capacidades de transmissão superiores a 100 megabits por segundo, conforme medido pelo aplicativo Ookla, que mede velocidade de internet.

Se você não se lembra, a proposta da Starlink é fornecer banda larga de qualidade inclusive em áreas remotas do planeta. Para conseguir isso, ela utiliza um conjunto de mais de 3 mil pequenos satélites que circundam o planeta em 90 a 120 minutos em uma órbita baixa.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!